Filmes cabeça

Primeira Fila sexta-feira, 30 de novembro de 2007

Você já deve ter estado numa situação onde um grupo de pessoas discute um filme específico (se você tiver amigos e ver filmes), e cada uma possui uma visão diferente para os acontecimentos do mesmo, você pensa o que eu estou fazendo aqui, este filme é muito ruim não entendi nada nele e estes loucos estão procurando explicações para o que ocorre em cena enquanto eu só queria comer pipoca e dar uns amassos na gatinha.

Pois bem, há um variedade de filmes obrigatórios de serem assistidos pois os mesmos viraram referência do que se chama FILMES CABEÇA, ou também filmes cult, volta e meia alguém pode fazer um comentário sobre o mesmo e você ficar boiando, loser. Claro que você pode argumentar que não gosta de filmes que não tenham menos do que 10 cadáveres ou cenas de lesbianismo, porém, lhe afirmo que vez ou outra vale a pena “viajar” nas imagens, sons e atores de determinados filmes, esquecendo o lado racional e lógico de tudo o que nos cerca, como se fosse uma experiência sensorial.

Para você saber do que estou falando aqui uma listinha básica da série como dar um nó na cabeça ou mesmo, não acredito que eu assisti este filme e não entendi nada:

CIDADE DOS SONHOS: Ninguém atualmente faz filmes mais sem pé nem cabeça do que David Lynch, desde os anos 80, Lynch nos brinda com perólas como Veludo Azul e, sua mais popular obra, Twin Peaks (afinal quem matou Laura Palmer? virou febre mundial). Em Cidade dos Sonhos, todos os ingredientes da obra peculiar de Lynch estão presentes: personagens bizarros e misteriosos, anões, mafiosos/bandidos e uma incrível incompreensão do que é real ou sonho/ilusão. Além disso, há Naomi Watts em início de carreira e, até, cenas de lesbianismo (viram é possivel unir dois gostos diferentes). Lynch é mestre em criar filmes cabeça, afinal, sua narrativa dificilmente é linear (como a maioria dos filmes atuais), Lynch brinca com flashbacks, delirios, sonhos e, ainda, modifica a ordem cronológica das cenas sem avisar o telespectador anteriormente, portanto, temos um “nó neurológico”.

naomiNaomi Watts nos seduz e confunde em Cidade dos Sonhos

MAGNóLIA: É uma pena que Magnólia seja mais reconhecido pela famosa “chuva de sapos” (literal), porque afinal as pessoas sempre tentam encontrar explicações para eventos que simplesmente servem de simbolismo dentro da trama? Na verdade, o filme é um épico (até mesmo na duração, são três horas) sobre os dramas humanos como a relação de pais e filhos, tendo em sua narrativa mosaico (são mais de dez personagens interligados de alguma maneira) um roteiro forte e impactante que não cede para a fórmula “final feliz”. Além disso, Paul Thomas Anderson filma a fantástica cena que representa o clímax do sofrimento vivido por todos, que acabam se unindo ao cantar uma mesma música, Wise Up (de Aimee Mann, responsável pela trilha). Se você ainda quer teorizar sobre a chuva de sapos, há muitas interpretações que vão desde um evento ao “acaso”, como os mostrados no início do filme, há uma intervenção divina (prestem atenção em determinado momento do show de auditório aparece um cartaz no público com os dizeres Exôdo 8:2, onde se encontra uma referência á rãs). Mistéééério!

magnoliaÉ um pássaro, é um avião…

Amnésia: Christopher Nolan (hoje mais conhecido por Batman Begins), exibiu todo seu talento de diretor num grande exercício de lógica e técnica narrativa, afinal, a história começa no que deveria ser a última cena e termina na sequência que deveria aparecer no ínicio do filme. Cada cena de Amnésia se inicia com o final da cena seguinte (hein?). Depois de sofrer um trauma, Leonard (Guy Pearce) passa a ser incapaz de se lembrar de fatos que acabaram de ocorrer em sua vida, porém, precisa descobrir o assassino da sua mulher, para isto começa a tatuar informações no seu corpo para informá-lo já que, em seguida, irá esquecê-las. Mesmo sendo uma trama simples sobre vingança a maneira como Amnésia é montado cria um verdadeiro quebra-cabeça no formato de um filme, imperdível.

amnesiaNão esqueça de anotar o nome do filme

Obviamente, a lista poderia ser maior com títulos como Donnie Darko (de Richard Kelly), Preso na Escurisão (de Alejandro Amenabar), Brilho Eterno de uma Mente sem Lembranças (de Michel Gondry) entre outros, mas, já serve de aperitivo para você se entrosar com os filmes mais confusos/incompreendidos dos últimos anos.

Antes de comentar, tenha em mente que...

...os comentários são de responsabilidade de seus autores, e o Bacon Frito não se responsabiliza por nenhum deles. Se fode ae.

  • Desses 3 eu só tenho o Amnésia, o filme é muito bom mesmo, esse negócio de cada 5 minutos mais ou menos o filme voltar um pouco foi uma idéia criativa no mínimo (ou copiou de algum filme anterior, vai saber né)

  • Planeta Malkavo

    putz …. meio furadinha essa sua lista de filmes cults, existem filmes realmente muito mais alternativos que esses, inclusive, o único filme que nem é tão conhecido assim que você disse e que realmente é de dar nós na cabeça é magnólia ….. ja donnie darko é legal e tal …. mas só tendo um KI muito baixo pra não entender algo que se torna tão simples no final …..

    bom, acho que nessa lista faltaram filmes como: a estrada perdida, 2001 – uma odisséia no espaço, Irreversível, manderlay, dançando no escuro, dogville, 21 gramas, as horas e mais alguns filmes que realmente servem para você ou ficar “ah …. acho que entendi” ou “ahn? O_O” no final …..

  • Friederichs

    Cidade dos sonhos é uma budega cara!! Não consigo entneder, simplesmente não.

    E tem outros, acho que “Stay – a passagem” é um que se deve conferir!

  • paulo jr.

    @Planeta Malkavo
    Na verdade esta é uma pequena e restrita lista de filmes (claro que poderiam citar muito mais filmes porém o texto ficaria enorme) que na verdade levantam questões por se tornarem confusos pro grande público. As suas citações fazem sentido mas veja desta maneira: Manderlay e Dogville não são filmes cabeça e, sim, filmes cult por mexerem na estrutura tradicional de um filme, como a substituição de locações por um cenário teatral, por exemplo; já 2001 – Uma Odisséia no Espaço deixei de fora por ser mais antigo; a Estrada Perdida seria mais um exemplo do cinema de David Lynch, por isto optei por Cidade dos Sonhos, mais reconhecido; e 21 gramas e Irreversíve são outros exemplos de filme que mexem com linhas temporais e narrativas fora de ordem, como é o caso de Amnésia; e por último, As Horas e Dançando no Escuro são, na minha concepção, dramas com temáticas fortes mas, não filmes cabeça.

    @Friedrichs
    Stay com certeza entra nesta lista sim, é uma baita confusão.

  • Planeta Malkavo

    cara, com toda certeza filmes cabeça não são só filmes que te confundem, e sim filmes que também te fazem pensar, e manderlay e dogville são ótimos exemplos disso …. por que, como você disse: Pois bem, há um variedade de filmes obrigatórios de serem assistidos pois os mesmos viraram referência do que se chama FILMES CABEÇA, ou também filmes cult ….

    e poxa, 2001 dane-se que seja antigo, é o filme mais confuso que existe, alguém aqui entendeu o final? O_O eles chegaram a plutão? acho que o fato do filme ser antigo nao tira seu prestígio, até por que a maioria dos filmes alternativos são bem antigos ….. os poucos filmes mais recentes que são alternativos é meio que babel …. e nem é tão cult assim ….

    entre cidade dos sonhos e a estrada perdida …. bom, pessoalmente acho a estrada perdida bem melhor …. acho que tem mais a caa dos filmes do lynch ……

    21 gramas e irreversível são ótimos filmes ….. fora do sério …. e só o fato de brincar com o tempo ja deixa o filme confuso …. no final de irreversível você talvez entenda alguma coisa, mas é dificil, ja 21 gramas não é tão complicado, mas tem um puta sentido o filme …. principalmente aquela ultima fala do personagem doente e tal …

    As horas e dançando no escuro pra mim são clássicos dramas cult, que te deixam pensando durante horas ….. porra, a pobre Selma (interpretada por Bjork, indicada ao oscar pelo mesmo filme) só se fode, e só o que faz é o bem para as pessoas ….. o filme mostra muito como é o ser humano …… ja As Horas, que também tem cenas de lesbianismo, é muito interessante por causa de sua trama ….. tres mulheres que vivem em tempos diferentes e são ligadas uma com a outra por uma mesma coisa (no caso, o livro que a mulher q vive no passado escreveu) e poxa ……. o final dela se matando afogada é ótimo …… simplesmente ótimo ….. e o final de dançando no escuro é fantástico também ….. Selma sendo enforcada por um crime que cometeu para ajudar o filho e o seu amigo …… cara, que merda nós seres humanos somos (rsrsrs) …..

    bom, continuo achando que faltaram excelentes filmes na sua lista, e filmes cabeças são filmes que quando você acaba de ver te faz pensar, e quando conversa sobre ele com seus amigos existe assuntos e comentários que vão muito além de “nossa, ele estava muito bem no filme” “aquela piada com mensagem e massagem foi ótima” (realmente é uma ótima piada, para saberem o que é assistam os filmes da pantera cor de rosa antigos) “que atriz peituda O_O” e ….. devo dizer que dos filmes que falei nenhum não puxa um assunto muito maior do que o do próprio filme ….. são filmes que os personagens são humanos …. são filmes que falam de coisas de verdade, e isso para mim é um filme ser cabeça … é ter sentido e seguir o normal … não um personagem falando “filho ….. você é a doença, e eu sou a cura”

  • Andrea

    Acho que ficar brincando de conceituar um filme como cabeça, cult, alternativo ou seja lá que nome for não traz notoriedade para o filme. Na boa, bons filmes são apenas questões de perspectiva. Quanto mais ampliado o horizonte mais a sétima arte pode nos surpreender, mesmo nesses idos de falta de criatividade.

busca

confira

quem?

baconfrito