Falar sobre música é um saco

New Emo quinta-feira, 11 de novembro de 2010

Não me entendam mal – como se isso fosse possível, só vendo a quantidade de comentário que eu recebo e vai pro fogo. Ou pra SE, o que, no final, é a mesma merda -, música é um lance do caralho. As melhores coisas do mundo ficam ainda melhores quando acompanhadas de música. Tipo Star Wars. Do que seria Star Wars sem a marcha imperial, toda vez que o Darth Vader aparece na tela? Ele seria classificado, no máximo, como um sadomasoquista que fumou por anos e agora tem apenas meio pulmão. Quantas vezes você não se perguntou por que caralhos a vida não tem uma trilha sonora? Tudo bem que seria uma merda com o que vocês escutam. Por isso que falar sobre música é uma merda. Cês tem um mau gosto desgraçado.

Não, tô sendo injusto com uma parte de vocês (Uns dois leitores, vai). Falar sobre música não é um saco por causa disso: É um saco porque é um saco.

 Uma banana é uma banana

Música é lugar comum. Todo mundo ouve música. É, eu não considero PAGODE sendo música, mas isso é questão de gosto. Todo mundo ouve música – todo mundo se mete a falar de música. E eu não tô dando uma de superior aqui, até porque, venho enganando vocês há meses nesses textos, dando a impressão de que eu manjo de tudo. O que é verdade, eu só nunca quis jogar isso na cara de vocês. De qualquer jeito, todo mundo consegue falar de música. E isso é chato. Você acha o último teorema de Fermat chato? Claro que não, você não pode achar o último teorema de Fermat chato. Ele é legal e quase ninguém consegue falar sobre isso. Daí que é a mágica do assunto: A sensação de que você domina algo que a plebe não consegue nem entender. Tenha medo do conhecimento, caralho.

Isso foi só um exemplo. Quantas vezes você já saiu pra qualquer lugar e acabou falando só sobre música? Tudo bem, dou um desconto, é um assunto bacana: É entretenimento. Mas tudo que passa de cinco horas de duração não é entretenimento, é TORTURA. Eu continuo achando que música é um lance foda, mas porra, que graça tem só falar sobre uma coisa pela vida inteira? Pessoas assim parecem aqueles sites em flash que ficam repetindo músicas dos Beatles eternamente. Um suicídio é mais divertido do que isso.

Na realidade, isso pode ficar pior. Pensa que uma pessoa que fale sem parar sobre música já é chato. Mas existem pessoas com gostos diferentes do seu – também conhecidas como o resto do mundo. Dentro desse grupo, há pessoas que não param de falar sobre o que você não gosta. Você que gosta de rock, já pensou como seria conversar por horas sobre sertanejo? Agora pensa que a pessoa não se contenta só em FALAR sobre, sei lá, Victor e Leo. Ela tem que CANTAR. Tirando o fato que ninguém fora o Frank Sinatra tenha talento pra cantar algo decentemente, já imaginou que merda que seria ter que beber uma Guinness ao som de uma foca leprosa tentando interpretar uma música de corno?

 Imagem: Foca leprosa tentando interpretar uma música de corno.

Falar sobre música, na verdade, não é um saco. Falar sobre música é bom. Falar sobre música é PERIGOSO. Cê tem que matar ou ser morto quando se trata desse assunto. Não dá pra agradar todo mundo, afinal, gosto musical é a mesma coisa que religião pra boa parte das pessoas. Não pra mim. Cê pode me contar uma piada sobre Queens Of The Stone Age que eu vou rir. Na medida do possível, vou rir se não estiver armado. Não tenho problema com pessoas que pensam que o meu gosto musical é uma merda. Tenho problema é com pessoas que não entendem que eu não ligo pro gosto musical alheio.

Falar sobre música, no final de contas, dá medo. Não de descobrir o mau gosto do pessoal. Isso já tá meio que na cara quando você percebe que tem gente que acessa um site chamado Bacon Frito. Mas dá medo de perceber que quem fala sobre música é tipo o nego que não saiu da adolescência e não compreendeu o espírito de um bom bar. Cês sabem, é aquele nego que compra uma Smirnoff Ice – GUEI – com a ajuda dos colegas colírios e tira foto pra colocar no Orkut. Sabe o que ele ainda não percebeu, e a vida ainda precisa ensinar, na forma de um chute no saco (Inexistente)? Cê pode beber a vontade. Destilados, fermentados, leite, suco, tanto faz. Beba à vontade. Sério. Afinal, NINGUÉM LIGA PRO QUE VOCÊ BEBE. Se alguém não entendeu, foda-se com força, você vai me fazer traduzir: Ninguém liga se você escuta rock, rap, sertanejo, pagode, clássica. E é por isso mesmo que você não precisa falar sobre isso vinte e quatro horas por dia.

Se bem que, pensando bem, ninguém deve dar a mínima pro que vocês pensam na maioria dos assuntos. Mas não fiquem tristes, a internet veio pra unir as pessoas. Por isso mesmo cês podem seguir o Bacon no Twitter, Last.fm e até fazer parte da comunidade no Orkut. Lugar pra ser ignorado não falta, que beleza.

Leia mais em: , ,

Antes de comentar, tenha em mente que...

...os comentários são de responsabilidade de seus autores, e o Bacon Frito não se responsabiliza por nenhum deles. Se fode ae.

busca

confira

quem?

baconfrito