Estreias da Semana – 07/02/2019

Cinema quinta-feira, 07 de fevereiro de 2019

Uma Aventura LEGO 2 (The Lego Movie 2: The Second Part)
Com: Chris Pratt, Elizabeth Banks, Alison Brie, Nick Offerman, Arturo Castro, Stephanie Beatriz, Tiffany Haddish e Will Arnet
Cinco anos atrás, o primeiro filme LEGO Emmet salvava o mundo LEGO de um vilão que ninguém mais lembra. Agora, o problema são os alienígenas.
Se você não quer ver a continuação, significa que a criança dentro de você morreu. E tá fedendo, pelo cheiro.

Escape Room
Com: Deborah Ann Woll, Logan Miller, Nik Dodani, Taylor Russell, Tyler Labine, Adam Robitel, Jay Ellis e Jessica Sutton
Manja aquelas salas que cê tem que escapar por diversão? Então, um grupo de seis pessoas acaba indo parar em uma dessa, e é oferecido um milhão de doletas pra quem chegar no final. Só que, obviamente, não é tão simples assim, e vai dar altas merdas no caminho, com gente morrendo e o caralho.
Até que demorou pra sair um filme com esse conceito. Mas o pior é que eu fiquei interessado nessa meleca.

Se a Rua Beale Falasse (If Beale Street Could Talk)
Com: Kiki Layne, Brian Tyree Henry, Regina King, Stephan James, Teyonah Parris, Aunjanue Ellis, Colman Domingo, Dave Franco, Diego Luna, Ed Skrein, Emily Rios, Finn Wittrock, Michael Beach e Pedro Pascal
Tish é uma jovem de 19 anos que planeja o casamento com Fonny, que também é pai da criança em seu ventre. Mas quando Fonny é acusado injustamente de ter cometido um crime, o casamento tem de entrar na fila, já que a prioridade de Tish e da família de ambos é provar a inocência de Fonny.
Pelo visto, agradou quem leu o livro, o que costuma ser uma raridade, em se tratando de cinema.

No Portal da Eternidade (At Eternity’s Gate)
Com: Willem Dafoe, Emmanuelle Seigner, Mads Mikkelsen, Mathieu Amalric, Oscar Isaac e Rupert Friend
Enquanto viveu em Arles, Vincent Van Gogh tentava entender a si [Solitário e melodramático] e ao mundo, enquanto pintava um [Ou dois, ou três] de seus quadros mais famosos: O Quarto em Arles.
Finalmente um filme do Van Gogh que não foca na orelha cort… Porra, agora que eu vi o pôster.

Vergel
Com: Camila Morgado e Maricel Álvarez
Quando seu marido morre durante as férias que o casal tirava na Argentina, uma brasileira tem de lidar com a demora e a burocracia, que fazem com que ela perca a noção da realidade. Presa num apartamento, ela tem na vizinha que se oferece para ajudar com as plantas um apoio para compartilhar a dor.
Você vê que nem quando o brasileiro morre os argentinos ajudam.

Poderia Me Perdoar? (Can You Ever Forgive Me?)
Com: Melissa McCarthy, Christian Navarro e Julie Ann Emery
Passando por um mau momento financeiramente falando, a jornalista Lee Israel resolve vender cartas falsificadas de pessoas famosas que já morreram. Mas quando começam a suspeitar, ela muda o esquema, e começa a roubar textos reais de arquivos e bibliotecas.
Se não fosse pelo Oscar, muito provavelmente ia passar batido por aqui, ainda mais com um nome como Melissa McCarthy.

Guerra Fria (Zimna Wojna)
Com: Joanna Kulig, Tomasz Kot e Borys Szyc
Em meio à Guerra Fria, um músico que gosta da liberdade [Redundância] e uma jovem cantora vivem um amor impossível, a despeito de terem histórias, temperamentos e um morar na Polônia stalinista, enquanto o outro tá na Paris boêmia dos anos 50.
Qual tá onde? Ninguém sabe, só assistindo pra saber. Vai se arriscar?

O Galã
Com: Thiago Fragoso, Fiuk, Christiana Ubach, Christine Fernandes e Luiz Henrique Nogueira
Júlio é um ator desempregado que tenta recolocação profissional. A sua chance se dá quando aparece o papel de galã na nova novela de uma grande emissora de televisão. O problema é que ele terá de disputar a vaga com Raul, um ator que vem crescendo na profissão. Pra ajudar [Ou piorar], o autor da trama é Beto, meio irmão de Júlio, e ambos estão brigados faz tempo.
É só no mundo da ficção que alguém considera o Fiuk como ator, mesmo.

Jovens Infelizes ou Um Homem que Grita não É um Urso que Dança
Com: Kiko Dinucci, Nani de Oliveira, Bebel Mendonça e Carlos Francisco
Morando numa república, um grupo de artistas tá sem dinheiro [Mesmo porque, se tivessem grana, não estariam dividindo uma casa]. Qual é a ideia genial? Criar uma arte revolucionária, que os livre da opressão. Obviamente o plano falha, e eles precisam tomar medidas extremas.
Dado o conceito do filme, eu imagino que as medidas extremas sejam trabalhar. Ou talvez seja um pouco mais profundo que isso, quem sabe?

Leia mais em: , , , , , , , , ,

Antes de comentar, tenha em mente que...

...os comentários são de responsabilidade de seus autores, e o Bacon Frito não se responsabiliza por nenhum deles. Se fode ae.

busca

confira

quem?

baconfrito