Estreias da Semana – 02/04/2015

Cinema quinta-feira, 02 de Abril de 2015

Velozes & Furiosos 7 (Furious 7)
Com: Jason Statham, Dwayne Johnson, Vin Diesel, Paul Walker, Lucas Black, Michelle Rodriguez, Kurt Russell, Jordana Brewster, Elsa Pataky, Ronda Rousey, Nathalie Emmanuel, Djimon Hounsou, Iggy Azalea e Chelsea Pereira
Depois de botar The Rock na franquia, Velozes e Furiosos invoca o careca mais maneiro dos carros: Jason Statham, que interpreta Ian, o irmão de um cara ae que morreu numa das tretas dos filmes anteriores. Ou seja, ele vai vir com sangue nozóio, no que está se tornando o Mercenários dos filmes de carros tunados e com cores bizarras.
Tudo bem que é o último filme do Paul Walker, mas cê acha mesmo que eles vão parar, se der dinheiro? Nunca.

O Ano Mais Violento (A Most Violent Year)
Com: Oscar Isaac, Jessica Chastain, Albert Brooks e David Oyelowo
Nova Iorque, 1981. Considerado um dos anos mais violentos da cidade, temos Abel, um imigrante e sua esposa, Anna, lutando para continuar honesto num ambiente que fomenta a ilicitude.
Normalmente o problema é tirar alguém que entrou por um caminho errado, mas nesse caso é evitar que se adentre a mata, o que é muito mais difícil. Eu sei que cês manjam, cês são tudo corrupto.

O Último Ato (The Humbling)
Com: Al Pacino, Greta Gerwig, Kyra Sedgwick, Charles Grodin e Dianne Wiest
Após perder seu talento sem explicação aparente, Simon Axler, um ator de teatro famoso e renomado, acaba apresentando sinais de depressão e tendências suicidas. E, na tentativa de recuperar seu dom, ele tenta coisas como um caso com uma jovem lésbica [Como um cara conseguiu um affair com uma lésbica pra mim também é um mistério] com metade da idade dele; e esse relacionamento faz com que pessoas reapareção e transtornos ocorram.
Eu juro que, se com essa sinopse, o filme não fosse uma comédia, eu ia ficar muito desacreditado da vida com o cinema em geral. E eu aposto que no final era tudo uma encenação.

Um Fim de Semana em Paris (Le Week-End)
Com: Jim Broadbent, Lindsay Duncan, Jeff Goldblum e Olly Alexander
Nick e Meg são casados faz trocentos anos, e vivem uma vida pacata em Birmingham, Inglaterra. Tentando reacender a paixão, Meg convence Nick a irem comemorar seus 30 anos de casados em Paris. O problema é que, no decorrer da viagem, eles notam o quanto se irritam mutuamente, o que leva ambos à pensar sobre esse tempo todo juntos. E ai o Jeff Goldblum aparece pra fazer uma participação especial e ganhar uns trocados.
Comédia romântica sobre como relacionamentos são especiais mesmo com suas falhas e blá blá blá. Esse tipo de filme é bom só pra fazer uma moral com a [Talvez futura] patroa.

Um Momento Pode Mudar Tudo (You’re Not You)
Com: Hilary Swank, Emmy Rossum, Josh Duhamel, Stephanie Beatriz, Jason Ritter, Julian McMahon, Ali Larter e Andrea Savage
Casada e extremamente bem sucedida na carreira de pianista clássica sofisticada, Kate tem um problema: Foi diagnosticada com esclerose lateral amiotrófica, também conhecida como ELA. Já Bec é só uma estudante que acha que vai ganhar a vida sendo cantora de rock que acaba trabalhando como suporte pra Kate, o que as leva a desenvolver aquela clássica relação de amor e ódio que não chega a ser um romance, mas também não é uma amizade, enfim, relacionamentos são complicados.
Eu não sei porque, mas eu fui remetido à mesma premissa daquele filme francês que fez um baita sucesso de público e crítica, um tal de Intocáveis. Mas deve ser só coincidência.

Amor à Primeira Briga (Les Combattants)
Com: Adèle Haenel, Kevin Azaïs e Antoine Lauren
Passando um verão sossegado, Arnaud esperava qualquer coisa, menos Madeleine. Tão bela quanto ríspida, ela acha que o mundo [Ou a humanidade] vai acabar da pior forma possível, por isso sonha em entrar na divisão mais difícil do exército. Inicialmente não preocupado com muita coisa, quando vê Madeleine indo, ele resolve se alistar também, devido à ligação que ambos criaram.
Pode não ser tão clichê quanto o casal que supera as dificuldades pra ficar junto, mas o casal que inicialmente tem problemas ainda é bastante clichê. Agora, se o filme é bom? Duvido, sendo ele francês.

14 Estações de Maria (Kreuzweg)
Com: Anna Brüggemann, Franziska Weisz, Hanns Zischler, Lea Van Acken, Birge Schade, Florian Stetter, Georg Wesch, Lucie Aron, Michael Kamp, Moritz Knapp, Ramin Yazdani e Sven Taddicken
Filha de uma radical católica, Maria sofre com uma dualidade bizonha: Fora de casa, é uma adolescente normal. Mas em casa, tem de seguir os ensinamentos católicos pra virar uma santa mirim, feito tantas outras, o que obviamente leva Maria a ficar confusa sobre o que quer e o que deve fazer da vida.
Radicalismo é foda. E por mais draminha meia-boca que seja feito, nada supera a vida real.

Leia mais em: , , , , , , ,

Antes de comentar, tenha em mente que...

...os comentários são de responsabilidade de seus autores, e o Bacon Frito não se responsabiliza por nenhum deles. Se fode ae.

  • FooFighter

    Tá contratando revisor?

  • Se não é pra produzir, nem quero.

  • FooFighter

    é que a coisa tá feia ali no “O Ultimo Ato”

  • Ah, esse tipo de coisa acontece quando a gente tem que trocar um filme de semana porque as distribuidoras não sabem o que querem da vida, e vai escrever/revisar bêbado. Até que não foi tão ruim quanto eu pensava, eu achei que tinha escrito algo ininteligível.

busca

confira

quem?

baconfrito