Cê curte música clássica?

Música segunda-feira, 23 de agosto de 2010

Não, eu não vou defender música clássica neste texto. Até porque, eu não preciso. Música clássica é, definitivamente, a maior invenção do homem, depois da cerveja e dos zumbis. E ninguém vai dizer o contrário. Laranja Mecânica, por exemplo, só se salva porque tem Beethoven no meio. OLHA A POLÊMICA, MANO.

Mas então, como eu estava dizendo, vou dar um conselho. Se você mora no Brasil – mais precisamente no estado de São Paulo (Sei lá se isso vai valer pros outros estados. E eu tô pouco me fodendo, também. Quem mandou não saber plantar café e não colaborar com a economia?) – e ouvir que uma tal de Orquestra Jovem das Américas vai passar pela sua cidade, compre uma arma. Sim, uma arma. E atire em qualquer pessoa que seja uma ameaça em potencial à chance de você conseguir um ingresso. Morda, se for necessário, mas não deixe de ir, porra.

Uma explicação mais elaborada: Eu moro no interior de São Paulo e a cidade onde vivo completa 193 anos este mês. É lógico que eu não ligo pra essas coisas, mas em nome do aniversário – e da politicagem, é óbvio – os negos da prefeitura organizaram eventos durante agosto. Um deles incluía essa orquestra se apresentando de graça no teatro municipal. Como eu sou pobre e de graça até injeção tá valendo, fui me aventurar nessa apresentação.

A bagaça começava às 21h. Cheguei às 20h e, puta que pariu, a fila já dobrava a esquina. Quando cheguei praticamente na porta, foi anunciado que os ingressos haviam se esgotado, assim como as senhas de espera. Puto, fiquei xingando por uns 15 minutos em um canto qualquer até perceber que todo mundo tava entrando. Como não havia mais espaço no teatro, a organização arrumou um par de projetores pra quem não conseguiu chegar a tempo ter um gostinho do espetáculo. Por mais DVD que isso seja, fiquei por lá, já que não tinha nada melhor pra fazer, mesmo.

 DAEW

Durante o intervalo de cinco minutos, pros músicos se arrumarem pro segundo ato, dois deles apareceram onde as pessoas que não conseguiram entrar ficaram assistindo. Um era brasileiro e o outro boliviano. O cara veio com um puta discurso de “porra, cês não conseguiram entrar e mesmo assim tão aqui, assistindo. Tenho mó carinho por vocês, seus lindos. Cês merecem, a gente vai tocar uma música pra vocês durante nosso intervalo.” – dito e feito, uma mistura de samba com clássica por cinco minutos. Usaram até flauta doce, pô. Só isso já valeu à pena. Dentro do auditório, outros três músicos tocavam outras melodias pra quem conseguiu entrar (Já ouviu “meu Brasil brasileiro”, ou algo do tipo?).

Quando o espetáculo acabou, as portas do auditório se abriram e todos entraram. A orquestra fez um show a parte: Só descontração, brincadeiras (O que incluía até você subir no palco e conduzir os músicos por conta própria. Óbvio, o maestro ficava atrás, dando os comandos, mas a impressão pra quem estava lá em cima era impressionante), samba, músicas com coreografia, bandeiras de todos os países da América, assim como camisetas de futebol e outras coisas que eu não sonharia ver vindo de uma orquestra. Tipo uma CONGA.

Vou confessar que entrei puto, mas saí satisfeito. Acho que se fosse outra orquestra, mais convencional, não teria sido tão legal. Depois fui pesquisar mais sobre os caras, e a Orquestra Jovem das Américas, em si. O grupo consiste, basicamente, de 100 músicos de diferentes nacionalidades americanas (Cerca de 20 países) entre 18 a 30 anos que tocam juntos. Há uma espécie de seleção, ano a ano, pra escolher os novos integrantes. E é rigorosa, pelo jeito, só os melhores passam por lá e ganham uma bolsa de estudos, inclusive, durante a permanência na orquestra (Que já serviu de passagem de mais de 400 músicos desde sua fundação) que tem gordinhas, véi!

 Prestei mais atenção nela do que na música. E por falta de foto maior, vai essa mesmo. heh

Enfim, soube que os caras tocaram em Ribeirão Preto e São Paulo – capital -, inclusive. Se eles passarem pela sua cidade, não perca tempo pensando se deve ir ou não. Cê vai, seu filho da puta, mas nem que seja forçado. Porque, afinal, música clássica cria bom gosto, o que é uma coisa que todos sabemos que você não tem.

Leia mais em: , ,

Antes de comentar, tenha em mente que...

...os comentários são de responsabilidade de seus autores, e o Bacon Frito não se responsabiliza por nenhum deles. Se fode ae.

  • Música clássica é realmente FODA!
    Ouvir Tchaikovsky é uma experiência indescritível.

  • Se essa tal Orquestra Jovem chegar por aqui… I’ll be there.

  • Vou considerar que você brincou que Laranja Mecânica só se salvar por causa de Beethoven.

    Música clássica é foda mesmo. Meu compositor favorito é o Wagner.

    Um bom modo de se iniciar na música clássica é vendo desenhos animados antigos. Todos eles tem músicas clássicas! É ou não é, Bolinha?

  • Eduardo

    POLEMICA, MANOLO. E eu concordo, uhuh. Parabens pelo texto.

  • Devo admitir que quando li esse texto, ainda na parte de posts agendados, tive de me esforçar para ler o parágrafo depois da garota

  • Enemy |

    Porra véi, cê mora em Araraquara.
    Nem sabia que teve isso aê, se eu soubesse, teria ido :\

busca

confira

quem?

baconfrito