As Brumas de Avalon 2: A Grande Rainha (Marion Zimmer Bradley)

Livros sexta-feira, 11 de junho de 2010

Em As Brumas de Avalon, a história do Rei Arthur é contada sob a perspectiva das mulheres que faziam parte da vida dele. Uma nova visão para a boa e velha história da Távola Redonda. No livro anterior (A Senhora da Magia), o enfoque maior era nas mulheres de Avalon, a ilha sagrada onde habitavam as sacerdotisas da Deusa, o reduto da antiga religião da Bretanha.

Em A Grande Rainha, assim como os rumos da própria história da Bretanha, o livro é voltado para a rainha Guinevere, agora casada com Arthur, (E como não é segredo para ninguém) apaixonada por Lancelot. A transição da narrativa, das fortes mulheres de Avalon para uma atormentada rainha, se dá depois da mudança de Morgana, agora amargurada com sua tia Viviane, para o reino de Lot, ao norte, onde Morgause é rainha. Morgana ficou assim logo após a festividade de Beltane, quando descobre-se vitima de um jogo de poder arquitetado por Viviane, a Senhora do Lago. Depois de uma temporada em exílio, e de volta a corte de Arthur, Morgana dá então lugar a Guinevere, que toma as vezes de protagonista, e revela os sentimentos contraditórios que a envolvem.

A principio, Guinevere parece mais uma garota mimada e medrosa, aos poucos ela se revela apenas uma mulher confusa, pega entre seus deveres morais e os seus mais íntimos desejos. Enquanto isso, Morgana só faz observar e a sentir-se presa em uma cultura diversa daquela que estava acostumada. O mais legal disso tudo é que Guinevere sente-se tão ameaçada por Morgana e seu jeito “livre de ser”, que trava constantemente uma batalha silenciosa contra ela, principalmente quando vê que os olhos da cunhada crescem para cima de Lancelot.

É quase o prelúdio de uma guerra anunciada entre a antiga religião, que permite seus seguidores de extravasarem seus desejos, e a nova religião, o cristianismo, que vem trazer o pecado e o remorso como formas de controle do povo.

Mas nem tudo é só embate filosófico sobre religião e história. Na verdade, tudo é misturado com boas doses de romance. E romance estilo Quadrilha: Morgana ama Lancelot, que ama Guinevere, que é casada com Arthur, que ama Morgana. Um quadrado amoroso, onde os lados não são iguais, e apenas Morgana fica chupando o dedo. Aliás, em matéria de sexo, o livro até que é bem servido: Ménage a trois, surubas ao ar livre, e traições a valer, fora as insinuações de homossexualidade na corte de Arthur.

Por fim, A Grande Rainha traz o lado cristão de uma história, que não pode ser contada apenas sob o ponto de vista de apenas uma pessoa, mas deve ser entendida como um todo.

As Brumas de Avalon: A Grande Rainha (Marion Zimmer Bradley)


The Mist of Avalon 2
Ano de Edição: 2008
Autor: Marion Zimmer Bradley
Número de Páginas: 229
Editora: Imago

Leia mais em: , ,

Antes de comentar, tenha em mente que...

...os comentários são de responsabilidade de seus autores, e o Bacon Frito não se responsabiliza por nenhum deles. Se fode ae.

  • Lionheart

    Li os 4 livros e eles são fantásticos, assim como sua resenha.
    Parabéns.

  • Talvez o mais importante dos livros das Brumas.

busca

confira

quem?

baconfrito