Ansiedade literária (ou Primeira reunião dos LA – Leitores Anônimos)

Livros sexta-feira, 28 de junho de 2013

Assim como muitos de vocês, eu tenho pouco tempo. Basicamente estudo, trabalho e cumpro os deveres relacionados a essas duas atividades. E também assim como muitos de vocês, eu gosto de ler, mas acabo ficando sem tempo. Leio quando consigo: Nos intervalos entre minhas atividades, no banheiro (Não neguem, você fazem isso também), no ônibus (Apesar de dar uma dor de cabeça do caralho) e quando mais é possível. E é nessas épocas de falta de tempo que se propagam os casos de ansiedade literária. Vem comigo.

A ansiedade literária é um fenômeno urbano e moderno caracterizado por uma fila de livros que você quer ler, mas parece não conseguir. Eles se empilham ou ficam na estante, enquanto você lentamente lê aquele que está na vez. Você conta páginas e se desanima ao perceber que tudo te distrai e se concentrar na leitura é cada vez mais difícil. Quando você finalmente tem tempo, desbrava as palavras com gosto, até começar tudo no outro dia (Ou em qualquer momento que a rotina te permite).

A coisa se complica quando você não resiste e compra novos livros, pensando desde a hora que você botou os olhos naquela capa que provavelmente este pobre coitado só vai ser lido por você quando os aliens pousarem no gramado da Casa Branca. É natural, afinal, tendo uma grana, é muito mais fácil comprar os livros do que lê-los. E lá se vão eles para a pilha infindável que te dá tanto orgulho e ao mesmo tempo tanto ressentimento. Um belo dia, você nota que essa situação é intolerável e jura pra si mesmo que vai arranjar uma maneira de melhorar a parada. Mas não é assim tão fácil.

Uma das “saídas” mais comuns é querer ler dois ou três livros ao mesmo tempo. Acontece, jovem cadete da Frota Estelar, que essa é uma tarefa pra poucos. E tem 90% de chance de você não ser um desses poucos. O resultado dessa bela idéia é quase sempre mais ou menos catastrófico (Perceba a exatidão dos dados): Você simplesmente se apegará ao livro que mais está gostando de ler e deixará naturalmente o outro (Ou outros) de lado, vítima de uma conspiração da sua própria mente para lhe tirar dessa idéia imbecil. Mas pior é se isso não acontecer. Você pode seguir em frente com dois livros e acabar confundindo os dois, esquecendo do que leu ou até terminando de ler sem aproveitar quase nada. Cada vez mais me convenço de que livro é que nem um planeta: Só dá pra ficar em um por vez (Metáfora esquisita, mas enfim, tá valendo).

Eu sou uma pobre vítima da ansiedade literária, e em nível agudo: Faz mais de seis meses que tento terminar um livro de história, sobre a Guerra Civil Americana; semana passada comprei “O homem e seus símbolos”, de Carl Jung – um livro de psicologia que apesar de interessante tá dando um nó na minha cabeça – e na fila ainda tenho um livro sobre a máfia e Queda de Gigantes, de Ken Follett (Praticamente uma bíblia de tão grande – e é só o primeiro volume, de três). Como se não bastasse, o animal aqui comprou pela internet uma ficção científica russa e espera sua chegada. E o tempo? Tô procurando ainda. Se alguém quiser vender, aceito negociações.

E você aí, caro leitor, tem um causo de ansiedade literária pra contar? Sente que esse caminho de trevas lhe consome? Se sente atraído pelas livrarias e bibliotecas? Conte sua história aqui. Declaro inaugurada a primeira sessão dos LA, os Leitores Anônimos. É só levantar nos comentários e desabafar.

Vida longa e próspera.

Leia mais em: , , ,

Antes de comentar, tenha em mente que...

...os comentários são de responsabilidade de seus autores, e o Bacon Frito não se responsabiliza por nenhum deles. Se fode ae.

busca

confira

quem?

baconfrito