Angel From Hell

Televisão sexta-feira, 15 de janeiro de 2016

E se você tivesse de boa andando por aí e trombasse com uma tia louca que, aparentemente, faz mágicas nas ruas em troca de uns trocados (Hã, hã?) e que sabe muita coisa sobre a sua vida? E se você tivesse tranquilão tomando um café com os brother e essa mesma tia louca aparecesse e começasse a puxar papo, virando inclusive truta dos seus brother? E se essa tia de repente, do nada, dissesse que você está sendo traído e que tudo o que ela quer é que você faça as escolhas certas e que ela está aqui para te ajudar a fazer as escolhas certas porque ela não é nada menos do que o seu anjo da guarda? Pois é, eu também sairia correndo e ligaria pra polícia. O problema é que a tia louca/anjo da guarda é a grandiosamente carismática Jane Lynch, que você certamente conhece de Glee ou de Two and a Half Men.

Recentemente eu resolvi dar uma chance para as séries de comédia. Eu não sei por que, só sei que tava lá sem paciência alguma pra assistir as séries que assistia, me dei conta que a sensacional Ash vs Evil Dead estava chegando ao fim de sua espetacular primeira temporada e pensei:

– Quer saber de uma coisa? Vou pedir uma pizza.

E depois pensei:

– Acho que vou assistir umas séries de comédia enquanto me mato com esta maravilhosa pizza de bacon com alho.

E foi assim que eu comecei a assistir Inside Amy Schumer, Workaholics e até mesmo Community, apesar dos avisos de que o prêmio final é uma martelada no dedo, um chute no saco e um abacaxi na bunda. Mas enfim…

Angel From Hell é focado na vida de Allison, uma bem sucedida dermatologista que vive pelos outros. Ela tem um namorado desempregado, um irmão morando em sua garagem e está prestes a dar uma festa de inauguração para a nova casa, quando conhece Amy, a tal tia louca que pode ou não ser um anjo da guarda e que deseja apenas toda felicidade do mundo para Allison. Resumindo, Angel From Hell é, muito mal comparando, um Wilfred às avessas.

A série não deixou muito do que se esperar no ar, talvez um atropelamento de ônibus e uma futura confusão com um vizinho que não liga muito para as regras da boa vizinhança, mas quem é que se importa com trama quando temos Jane Lynch? Jane é tipo aquela tia louca que te faz querer ir nas reuniões de família, saca? Aquela que todo o resto da família fala mal mas é o membro mais legal da árvore genealógica. Aliás, vocês a viram como host do People’s Choice Awards? Essa mulher é sensacional.

Mas Jane Lynch, apesar de ser a melhor, não é a única personagem engraçada da série e tampouco a única artista de renome. Kyle Bornheimer interpreta Brad, o irmão mais novo de Allison, que tem certos problemas de personalidade própria, tentando agradar pateticamente as pessoas ao redor e tem uma ótima cena de flerte com Amy. E Kevin Pollak, que dispensa apresentações, interpreta Marv, o pai de Allison e Brad.

No final, pode ser que Angel From Hell seja mais do mesmo, mas como dito antes, é difícil que algo com Jane Lynch como protagonista seja mais do mesmo. Embora depois de ter visto uma série que tinha dinossauros e viagens no tempo fracassar eu não duvido de mais nada!

Leia mais em: , ,

Antes de comentar, tenha em mente que...

...os comentários são de responsabilidade de seus autores, e o Bacon Frito não se responsabiliza por nenhum deles. Se fode ae.

busca

confira

quem?

baconfrito