Algumas curiosidades sobre Batman – O Cavaleiro das Trevas

Cinema quinta-feira, 26 de julho de 2012

No post anterior eu falei um monte de coisas que nem eu sabia sobre o Batman Begins. No de hoje, vamos descobrir vários segredos do filme seguinte, Batman – O Cavaleiro das Trevas.

 Por que tão sério? Keep calm e…

É o primeiro filme do personagem que não tem Batman no seu título original. No Brasil, o nome foi incorporado. Segundo o próprio diretor Christopher Nolan, é o seu primeiro filme com narrativa linear. Depois de assistir ao filme, David Goyer, autor da história ao lado de Nolan e de Jonathan Nolan, afirmou: “Não acredito que o meu nome está em um filme como esse“. No roteiro, foi decidido que não deveriam explorar a origem do Coringa e sim abordar o personagem “em absoluto”. Nolan chegou a comparar o Coringa com o Tubarão, no filme homônimo.

É o primeiro filme do Batman sem aparição de morcegos. Nolan afirma que Fogo contra Fogo é uma das maiores influências de TDK. Nem Batman nem o Coringa se chamam pelo nome quando se confrontam. Nos quatro primeiros dias de filmagem, Nolan exibiu oito filmes para o elenco: Fogo Contra Fogo, Sangue de Pantera, Cidadão Kane, King Kong (1933), Batman Begins, Black Sunday, Laranja Mecânica e Inferno 17. Quando filmou Batman Begins, Nolan exibiu Blade Runner. Em uma das primeiras versões do roteiro, foi considerada a hipótese de Robin estar relacionado à Rachel. Dick Grayson não seria explicitamente mencionado, mas revelaria-se que Rachel teria algum grau de parentesco com a Família Grayson. Nolan tirou isso do roteiro porque não queria dar esperanças de futuras aparições do Robin na franquia.

Quando houveram boatos de que o Pinguim estaria no filme, Bob Hoskins era o preferido dos fãs para o papel. O ator inclusive se manifestou, falando que adoraria interpretar o personagem e trabalhar com Nolan. Mas o diretor não tinha a intenção de usar o personagem, que segundo ele, era muito difícil de adaptar no universo realista que ele propôs. Hugh Jackman, Ryan Phillippe, Liev Schreiber e Josh Lucas queriam interpretar Harvey Dent. Por coincidência, há 8 anos atrás, Aaron Eckhart foi cotado para ser o Wolverine.

 Voa morceguinho, voa…

No projeto do diretor Darren Aronofsky para adaptar Batman: Ano Um, Aaron Eckhart interpretaria James Gordon. Na reta final para decisão do intérprete de Harvey Dent, três candidatos eram tidos como certos: Eion Bailey, que fez teste para o papel de Batman, Jammie Fox e Edward Norton. Antes da confirmação de que o Duas Caras estaria no filme, vários vilões foram cotados para aparecer no filme junto com o Coringa. Entre eles, Máscara Negra, Tália Al Ghul (Filha de Ra’s Al Ghul), Pinguim e Arlequina. Falou-se que Rachel Weisz seria a interpréte da filha de Ra’s e Emily Watson no papel da Arlequina.

Com exceção de Katie Holmes, todos que estavam em Begins retornam. A saída de Holmes foi, oficialmente, devido a conflitos de agenda. Antes de Maggie Gyllenhaal substituir Katie Holmes no papel de Rachel Dawes, foram cotadas Rachel McAdams e Emily Blunt. Os policiais de Chicago também foram utilizados como policiais de Gotham, como figurantes. Nestor Carbonnel, que faz o prefeito de Gotham nesse filme, interpretou o personagem Bat-Manuel, paródia de Batman no seriado live action de The Tick.

Robin Williams, Lachy Hulme, Paul Bettany e Adrien Brody tentaram o papel de Coringa. Robin Williams em especial tem história com o personagem. Em 1989, ele perdeu o papel para Jack Nicholson, e depois recusou o Charada em Batman Eternamente por vingança (Ainda bem?). Mas ele tentou com todas as suas forças interpretar o Coringa nesse filme. Falou até que já havia sido uma experiência maravilhosa trabalhar com o Nolan no filme Insônia e que adoraria fazê-lo de novo. Inclusive, Williams mostrou ser entendido das HQs do Batman, ao dizer que adoraria interpretar algo inspirado na graphic novel Asilo Arkham, de Grant Morrison. Mas Nolan preferiu Heath Ledger para o papel de Coringa.

 “Agora eu vou fazer aquele truque, prestem todos bastante atenção!”

O Coringa do filme foi baseado nas duas primeiras aparições do personagem, na edição #1 do gibi do Batman e na graphic novel A Piada Mortal. O Príncipe Palhaço do Crime teve diversos candidatos bizarros ao papel, entre oficiais ou não. Falou-se em Johnny Depp, Michael Keaton, Mark Hammil (O Luke Skywalker e o dublador do personagem em Batman: The Animated Series e Liga da Justiça). Há quem diga que Depp se interessaria pelo personagem se não fosse amigo de Tim Burton, diretor do filme em que Jack Nicholson tinha feito um excelente Coringa. Antes de Heath Ledger, especula-se que Sean Penn tinha sido convidado para o papel de Coringa e Matt Damon para Harvey Dent.

Jerry Robinson, creditado como um dos criadores do Coringa, é consultor do filme. Ledger passou 6 semanas isolado em um hotel em Londres pesquisando e desenvolvendo o personagem, usando como influências Alex DeLarge (Laranja Mecânica) e Sid Vicious (Baixista do Sex Pistols). A primeira declaração de Ledger após ser confirmado como intérprete do Coringa serviu para polarizar ainda mais a opinião das pessoas que não levavam muita fé no seu desempenho. Heath disse que odiava filmes de super heróis e que não conseguiria levar a sério um trabalho onde, por exemplo, teria que vestir cueca por cima da calça. Mas se redimiu ao dizer que havia adorado o trabalho de Nolan em Batman Begins, já que era completamente diferente de tudo que há nesse gênero.

A maquiagem do Coringa foi criada pelo próprio Heath. Uma vez aprovada, as pessoas responsáveis pela maquiagem ficaram encarregadas de refazê-la durante toda a filmagem. A maquiagem do Coringa é feita por três máscaras de silicone, que levavam uma hora para serem colocadas no rosto de Heath Ledger. Ele dizia que era como se não estivesse utilizando nada. Heath dirigiu os vídeos feitos pelo Coringa. O primeiro vídeo, com o Batman fake, foi feito sob supervisão de Christopher Nolan. O diretor achou que Ledger fez bem o trabalho e que não havia necessidade de estar lá nas outras gravações. Nolan deixou Ledger fazer o que queria e ficou satisfeito com o resultado. No total, Heath Ledger ganhou 32 prêmios póstumos de Melhor Ator Coadjuvante.

 Hitchcock iria gostar desse poster…

Durante as filmagens em Londres, foi rodada uma cena de explosão na Battersea Power Station. Tamanho foi o estrondo da explosão que as pessoas que estavam nos arredores acharam que se tratava de atentado terrorista. Já nas filmagens de Hong Kong, a equipe teve alguns problemas, como prédios comerciais que se recusaram a deixar as luzes acesas durante a madrugada, pedido feito pelo estúdio, e o cancelamento de uma cena em que Batman pularia dentro do mar nas proximidades do porto da cidade. Especulou-se que isso ocorreu devido a poluição da água, mas Nolan disse que havia sido um corte no roteiro. O episódio foi abordado numa charge de um jornal local, onde o Coringa pergunta a Batman se ele não sabe que água de lá é poluída.

Durante a cena de perseguição, quando o Coringa assume a condução do caminhão após matar o motorista, pode-se ver que buracos à bala formam um sorriso no pára-brisas do caminhão. Após o Batmóvel Tumbler sofrer o acidente que antecede a sua destruição, um sinal sonoro é emitido pelo “sistema de diagnóstico“. O som é o mesmo que o telefone vermelho do seriado da década de 60 emitia. Após a sua transformação, Duas-Caras joga a sua moeda oito vezes, sendo que cinco delas caem para o lado bom (Coringa, Maroni, Ramirez, ele mesmo e para o filho do Gordon) e para o lado ruim, três (Wuertz, motorista do Maroni e Batman).

Nos EUA, a venda antecipada de ingressos começou cerca de 1 mês antes da estréia do filme, sendo que as sessões de meia-noite do dia 18 se esgotaram rapidamente. A procura foi tanta que obrigou as redes de cinema a criarem sessões às 3 da manhã e, posteriormente, 6 da manhã. Batman – O Cavaleiro das Trevas vendeu 8 vezes mais ingressos a 20 dias da estréia que Homem Aranha 3, um dos filmes mais esperados de 2007. Apesar de ter sido classificado para maiores de 13 anos nos EUA, o sangue só aparece três vezes durante o filme: Quando Batman é atacado pelos cães, no travesseiro de Harvey Dent no hospital e no rosto do Batman que fica pendurado do lado de fora do gabinete do prefeito. E é isso. Amanhã nos vemos na fila pra estreia da última parte dessa bat-trilogia.

Leia mais em: , , ,

Antes de comentar, tenha em mente que...

...os comentários são de responsabilidade de seus autores, e o Bacon Frito não se responsabiliza por nenhum deles. Se fode ae.

  • John

    Bem interessante. Muito bom para ficar animado com a estreia do terceiro amanhã.

busca

confira

quem?

baconfrito