A Comédia mais Engraçada do Momento

Sit.Com terça-feira, 14 de outubro de 2008

Quem acompanha a coluna sabe que dificilmente comento sobre os famosos sitcoms (que, inclusive, nomeiam a coluna, não fui eu que escolhi!). O gênero já teve momentos mais inspiradores, principalmente na época das “vacas gordas” de Seinfeld, Frasier, Friends e Sex and The City, somente para citar alguns sucessos recentes.

Para vocês terem idéia consigo, atualmente, citar (usando somente os dedos de uma mão, ao contrário dos dramas, em que faltam dedos para contar) as comédias que assisto (sem ordem de preferência):

1. Entourage
2. How I Met your Mother
3. The Big Bang Theory
4. The New Adventures of Old Christine …e só!

Vocês podem estar sentido falta de séries mais bam-bam-bam, como a popular Two and A Half Men, a super-premiada 30 Rock e de Steve Carell e seu The Office, até as vejo vez por outra, porém as sitcoms que me viciaram e me “fazem sentir” são as poucas citadas acima.

Neste retorno de temporada, apesar da excelência de Entourage (5ª temporada), principalmente para quem conhece um pouco os bastidores de Hollywood e como funciona a “indústria dos sonhos”, que continua com ótimas tramas (como refilmar Benji) e sempre alfinetando atores, produtores, roteiristas e o pessoal do showbizz americano; o título de mais engraçado fica com…The Big Bang Theory! (exibida no canal Warner)

A série, em sua 2ª temporada, retornou com textos cada vez mais hilários para satirizar os famosos nerds e situações engraçadissímas, como a Feira de História que Leonard critica pelos detalhes históricos, a “máquina de dobrar roupas” de Sheldon e o aparecimento de uma rival para ele (inclusive pela língua ferina), já conhecida da temporada passada, affair antigo de Leonard, a Leslie. Eu que achava que a temporada seria tomada pela trama do suposto futuro/ex-casal Leonard/Penny fui surpreendido pela sumária troca de enredo, bom pra série que dá mais espaço à Sheldon.

Assim, de mansinho, de uma série despretensiosa, The Big Bang Theory vêm ganhando audiência e fãs pela maneira despojada de mostrar os nerds (jogue a primeira pedra quem não se identifica um pouquinho com algum personagem). Os roteiristas perceberam que as inúmeras referências à cultura pop, como games, rpgs, filmes sci-fi, agradam aos fãs mais fanáticos e ilustram em cada episódio temas referentes à este universo.

Claro que se a série não tivesse um personagem como Sheldon, um nerd sem completa noção de convívio em sociedade, metade da graça estaria perdida, ou melhor, soaria forçada, como ocorre em alguns momentos. No entanto, Sheldon é o supra-sumo da nerdice, claro que de uma maneira engraçada e sarcástica. Os roteiristas sabem disso e, nesta 2ª temporada, o personagem (méritos do ator Jim Parsons) leva a série nas costas, melhor pra nós!

Leia mais em:

Antes de comentar, tenha em mente que...

...os comentários são de responsabilidade de seus autores, e o Bacon Frito não se responsabiliza por nenhum deles. Se fode ae.

busca

confira

quem?

baconfrito