13 motivos que comprovam que você é um viciado em porcaria

baconfrito terça-feira, 02 de fevereiro de 2016

A Síndrome de Estocolmo é caracterizada pelo estado psicoemocional em que uma pessoa, após passar por uma situação traumática persistente, desenvolve sentimentos amistosos, simpáticos e/ou amorosos para com seu agressor. Uns dizem que é culpa do PSDB, outros de reações químicas no cérebro e ainda há aqueles que descartam a tal síndrome, uma vez que tal estado seria um mecanismo de sobrevivência.

Seja como for, o fato é que você está preso nessa bagunça toda. E tá tudo muito bem pra você.

1 – Você acha ruim quando lê algo de ruim sobre essa porcaria

Porque você é burro. E porque o que alguém em algum lugar no mundo pensa faz diferença nessa sua vida de white knight do trabalho alheio (Porque ao menos o white knight original tinha sexo como objetivo).

2 – Você é testemunha da vitória de alguém

Eu não tenho nada contra a fé de ninguém. Aliás, como já diria o gorrrrrrrrdo, fé é do balacobaco. Mas o problema é que isso não é sobre fé, é sobre ostentação da fé: Se você se orgulha de testemunhar alguém “vencendo” (Dica: Na vida não tem nada pra vencer), você é o tipo que acredita que isso te ajudará a “vencer” também (Outra dica: Foda-se a vitória alheia).

3 – Você não tem nenhuma laje pra bater ou louça pra lavar

Gente ocupada não tem tempo pra fazer merda. Ou até tem, mas inevitavelmente a pia continuará suja e o cimento continuará guardado no banheiro dos fundos.

4 – Você acha que ganhar seu próprio dinheiro te dá direito à ele

Deixando de lado o tanto de imposto que todo mundo paga por tudo, temos aquele outro fator: Seu dinheiro só tem valor porque ele tem valor pra outra pessoa, pessoa essa que tem algo que você quer ter. Acontece que não dá pra comprar talento e nem esforço.

5 – Nunca lhe ocorreu que isso que você gosta seja um emprego

Médicos ganham pra salvarem vidas, cantores ganham pra atingir o topo das paradas e atacantes ganham pra fazer gol. E essa gente toda precisa pagar o aluguel, a energia, a água, a escola dos filhos e, eventualmente, meia dúzia de puxa sacos pra testemunhares suas vitórias. E esses puxa sacos ganham pra isso também.

6 – Você acha que se algo te diverte é porque é bom

Eu rio do sotaque alheio, de gente sendo atropelada e de piadas sobre estupro. Ainda assim, você muito provavelmente é uma pessoa mais divertida de se conviver do que eu… Mas você não vai rir quando ouvir a seu tio avô maranhense chegando na sua casa de surpresa, da sua vó abraçando o ônibus e da sua filha grávida aos 12 anos, e eu vou.

7 – Você também acha que o popular é bom porque diverte bastante gente

A person is smart. People are dumb, panicky dangerous animals and you know it.

Essa coisa linda que chamamos “democracia” é, em resumo, a vontade da maioria, e eu aposto tudo que eu tenho que você não passa 24 horas sem reclamar de algo que a maioria teve vontade de fazer e fez.

8 – Você gosta de fazer parte de algo maior que você

 E por 9 meses você fez.

Nessa internet de meu deus há uma escala, um infográfico informativo sobre os níveis de derrota na vida de uma pessoa. Ninguém sabe qual o primeiro item, e o último está sempre em branco uma vez que, a cada nova coisa que surge, tal espaço é preenchido. Porém o meio é parcialmente conhecido. Coloquemos desse jeito: Se você levantar a bunda desse sofá, sentar numa cadeira, abrir seu computador e entrar num grupo de debate sobre Star Wars VIII, você terá uma melhora significativa na sua vida.

Nota do editor: Ou não.

9 – Você gosta de algo por tudo que é motivo, menos por méritos do que você gosta

 Tá pra nascer vestimenta pior que abadá.

Em outras palavras você vai em rodeio pra beber, em show punk pra tentar pegar alguém e pro cinema pra comer pipoca. Lê livro porque foi em palestra motivacional e não porque quer entender mais sobre mecânica quântica (Que se você entendesse, veria que tudo que foi dito na tal palestra está errado) e insiste que só vê Zorra Total por causa dos bordões.

10 – Te mostraram, você não achou

Sendo o hipster do Bacon devo dizer: Há algo de mágico em conhecer algo que ninguém ao seu redor conheça. Se você for uma pessoa decente pode até mostrar pros plebeus o que é a tal coisa. Mas não, esse não é você. Te marcaram na publicação no feisse. Colocaram no grupo do zapzap. O serviço automático do Google achou que talvez você fosse gostar já que gosta de coisa parecida. Se te dessem uma bolacha na fuça você ia mostrar a marca pros seus chegados ao invés de revidar.

11 – Você gosta de se filmar homenageando essas coisas todas

Sabe aquele vídeo que para na internet e vira meme por ser ridículo? Prazer em te conhecer. Esse é o tal “outro lado” da fama/popularidade/reconhecimento.

12 – Você segue a moda que essa porcariada toda cria

 Essa fonte me deu câncer.

Lembram das pulseiras com anel por causa d’O Clone? E do sutiã aparecendo da Norminha? E de como o Camaro passou de uma mosca na sombra do Mustang pra um símbolo de luxo? O nome disso tudo é sangue de barata.

13 – Você sente falta do lixo que acabou e já está procurando o próximo

O termo científico pra isso é “viúva”. Tem viúva pra tudo. Imagina só se o Renato Russo e o Kurt Cobain estivessem vivos e gravassem juntos? O triste dessa história toda é que esse bando de gente de véu preto não bate as botas nunca: Uma hipocrisia sem fim. E o que é pior, é a carência. Poucas coisas são tão satisfatórias quanto a carência de gente disposta a fazer o que for pra ser apreciada por quem admira.

Leia mais em: ,

Antes de comentar, tenha em mente que...

...os comentários são de responsabilidade de seus autores, e o Bacon Frito não se responsabiliza por nenhum deles. Se fode ae.

busca

confira

quem?

baconfrito