Quem Quer Ser Um Milionário? (Slumdog Millionaire)

Cinema segunda-feira, 09 de março de 2009

Jamal Malik (Dev Patel) tem 18 anos de idade, vem de uma família das favelas de Mumbai, Índia, e está prestes a experimentar um dos dias mais importantes de sua vida. Visto por toda a população, Jamal está a apenas uma pergunta de conquistar o prêmio de 20 milhões de rúpias na versão indiana do programa televisivo Who Wants To Be A Millionaire?. No entanto, no auge do programa, a polícia prende o jovem Jamal por suspeita de trapaça. A questão que paira no ar é: como um rapaz das ruas pode ter tantos conhecimentos. Desesperado para provar sua inocência, Jamal conta a história da sua vida na favela – onde ele e o irmão cresceram -, as aventuras juntos, os enfrentamentos com gangues e traficantes de drogas e até mesmo o amor por uma garota. Conseguirá Jamal provar sua inocência e ganhar o prêmio e o coração de sua amada?

Respondendo logo de cara as perguntas que vocês vão fazer: sim, o filme é muito bom, corresponde às expectativas e sua massacrante vitória no Oscar e no Globo de Ouro não me fez cortar os pulsos. Caso você só estivesse esperando ler isso, pode ir ao cinema tranquilamente – o filme cumpre o que promete. Se ele parece com Cidade de Deus? Sim, muito, principalmente no que se diz a edição, montagem e fotografia – mas nada disso tira o brilho da obra, fica apenas a indignação com o preconceito da academia.

 Adivinhe o que ele está fazendo…

O filme começa com Jamal Malik, um jovem indiano, sendo torturado por dois policiais que buscam descobrir como esse “garoto do chá” chegou a pergunta de 10 milhões de rúpias no “Show do Milhão” indiano, já que nem mesmo médicos, advogados e intelectuais conseguiram tal proeza. Após apanhar um pouco, o garoto começa a contar sobre sua vida, explicando como momentos importantes de sua vida lhe davam as respostas para as perguntas. Assumindo que este filme se trata de um conto de fadas modernos, sem questionar as inúmeras coincidências no roteiro, você terá uma experiência muito agradável – ainda mais se tiver levando uma gordinha com você.

Continuando, com o passar da história se descobre que Jamal só entrou no programa para que sua amada Latika, com quem se desencontra o filme inteiro, pudesse achá-lo. Claro que não é por isso que ele vai desprezar a chance de se tornar um milionário, mas não foi isso que o impulsionou. A propósito essa história de amor norteia o filme inteiro, já que praticamente tudo que o tanga faz é ir atrás dela, enquanto o seu irmão nutre um complexo de “Zé Pequeno”.

 Slumdog é o caralho !

Falando em personagens, não poderia deixar de citar o personagem de Anil Kapoor, que faz o apresentador do programa. Apesar de poucos minutos de tela, sua convincente atuação serve de refresco para os intervalos entre as histórias de Jamal – ainda sim, mostra ao que veio em uma cena em particular. Vale a citação também dos atores mirins que fazem um trabalho surpreendentemente bom, que faria a mala da Dakota Fanning procurar o colo de sua mãe.

Mas o brilho do filme é garantido pela sua fluidez. E ajudando ao ótimo trabalho do montador Chris Dickens, estão o roteirista Simon Beaufoy, que faz um bom trabalho montando uma linha cronológica que vai e volta, mas que não te deixa perdido em nenhum momento. Mas fica a ressalva – como eu já disse anteriormente, é necessário considerar a idéia de que o destino estava escrito (o que eu particularmente abomino no filme) e aceitar as inúmeras coincidências, para aproveitar a obra em seu máximo, então nada de chiar pelo fato da ordem das perguntas seguirem exatamente a cronologia do indiano. E não menos importante é preciso falar do diretor, Danny Boyle (de Sunshine – Alerta Solar, Extermínio e do fodáximo Trainspotting), que faz um trabalho digno, principalmente no que se diz a criação de empatia e antipatia pelos personagens. Se desde o primeiro momento não criássemos um laço com o protagonista (apesar da apatia de Dev Patel), a obra afundaria e seria ignorada pelo público. Até mesmo eu, que não suporto a tanguice de Jamal, acabo simpatizando por sua briga pelo “amor verdadeiro”. Vale citar que o diretor indiano Loveleen Tandan teve papel primordial ao mostrar a Índia de fato como ela é, sendo ajudado pelo diretor de fotografia Anthony Dod Mantle que fez um trabalho espetacular, apesar de mais uma vez, ter se baseado em Cidade de Deus.

 Quem olha assim nem desconfia da tanguice

Mas não são apenas qualidades que podem ser atribuídas ao filme, e talvez o seu maior defeito sejam o excesso de coincidências que permeiam o roteiro, permitindo que você adivinhe o final antes da metade da projeção. Minhas outras reclamações ficam por parte de pequenas cenas que julgo exageradas ou desnecessárias (o salto do prédio por exemplo, tem uma linguagem tão destoante do resto do filme que chega a quebrar um pouco o ritmo), e do maniqueísmo típico do cinema americano (Jamal é o tanga bonzinho, e o seu irmão é o fiadaputa). Enfim, apesar de não tirar o brilho da obra, seus 8 Oscars parecem um pouco exagerados – ainda mais em um ano de filmes com o Dúvida, Frost/Nixon, The Dark Knight, Wall-E e O Lutador.

De resto, vale dizer que as músicas são uma sensação a parte, principalmente a vencedora do Oscar “Jay Ho”, que vai fazer muita gente sair dançando do cinema. Pare de ficar criando problemas com o filme como eu fiz, e deixe se levar pela obra – vocês não vão se arrepender.

Quem quer ser um milionário ?

Slumdog Millionaire (120 minutos – Drama)
Lançamento: 2008
Direção: Danny Boyle
Roteiro: Simon Beaufoy
Elenco: Dev Patel, Anil Kapoor, Jeneva Talwar

Leia mais em: , , , ,

Antes de comentar, tenha em mente que...

...os comentários são de responsabilidade de seus autores, e o Bacon Frito não se responsabiliza por nenhum deles. Se fode ae.

busca

confira

quem?

baconfrito