Além da Vida (Hereafter)

Cinema quinta-feira, 06 de janeiro de 2011

 O filme conta três histórias: George, que vive em São Francisco, nos EUA, e é um ex-médium, tem o poder de se comunicar com o mundo dos mortos, mas considera tal habilidade uma maldição, por isso largou o negócio e agora vive uma vida monótona: Trabalha em uma fábrica, não tem amigos e mora sozinho; Marie é uma jornalista francesa, que estava na Tailândia na época do tsunami e passou por uma experiência de quase morte, o que a fez conseguir ver o mundo dos mortos e, ao voltar para a França, decide investigar mais essa experiência; e na Inglaterra, onde vivem os gêmeos Marcus e Jason, que têm uma mãe viciada, mas fazem de tudo para ajudá-la, até o dia em que Jason morre atropelado e Marcus vai atrás de alguém que possa fazê-lo entrar em contato com o irmão morto.

Apesar de parecer filme baseado em alguma ideia do Chico Xavier, é do Clint Eastwood. Sim, é dele mesmo. E o roteiro é do Peter Morgan, que escreveu Frost/Nixon e A Rainha. Mas aqui os dois se perdem. E se perdem feio. Eu poderia dizer que o ruim do filme é a ideia de ter vida pós-morte, mas não é isso, pois o único tipo de filme que tem compromisso com a verdade são os documentários. O pior do filme é abusar de fórmulas batidas, de diálogos bregas e pouco inspirados, de situações absurdas e das relações interpersonagens completamente artificiais. E a convergência das três histórias ainda é a cereja do bolo de erros do filme.

E o roteiro de Morgan ainda abusa de coincidências, como a mensagem da secretária eletrônica exatamente logo após o assunto da mensagem surgir na conversa ou os três protagonistas se encontrarem num lugar grande e exatamente no mesmo dia. E quer algo mais clichê do que alguém reclamando que o dom que possui é, na verdade, uma maldição? E você sabe que ele vai usar a habilidade posteriormente, para o bem de todos.

 Não é a Oda Mae Brown, mas também fala com os mortos

Nenhuma das três histórias é bem trabalhada. Um erro inesperado cometido pelos responsáveis do filme, basta ver seus filmes anteriores: Peter Morgan não deixa ponta solta em Frost/Nixon e Clint Eastwood fez Menina de Ouro e Os Imperdoáveis, que dispensam maiores comentários. Um exemplo de grande pisada na bola de Além da Vida é a personagem de Bryce Dallas Howard, que aparece do nada e some do nada, sem dar notícias.

O ponto alto do filme é a atuação de Matt Damon, que já vem se tornando um dos grandes atores da geração. Apesar de estar com um personagem fraco num filme fraco, Damon se sobressai, conquistando a melhor atuação entre todo o elenco. A hesitação dele no relacionamento com a personagem de Howard e como anda sempre triste e sempre deslocado e distante nos lugares que está, apenas com o irmão como relacionamento. Também merece destaque a atriz belga Cécile de France, que interpreta Marie, que também faz o que pode com a personagem.

 Ele quer deixar de atender, mas mantém o site online? Tá bom, então

Pra não dizer que o filme todo se nivela por baixo, a sequência inicial, que acompanha o tsunami na Tailândia é excelente. Desde os efeitos especiais (Além da Vida está entre os 15 pré-indicados ao Oscar nesta categoria) até as pessoas tentando se salvar da fúria do mar. Além do cenário pós-destruição, também bem elaborado. Só um ponto fraco: Em certo momento um carro prensa Marie contra a parede e logo depois ela tá andando, sem sequelas, como se nada tivesse acontecido.

Como eu disse ali em cima, o problema do filme não é lidar com assuntos pós-morte, mas sim do filme em si. Mas não escapa das armadilhas de filme com cunho religioso: Se levar a sério demais e se auto-afirmar como verdade absoluta, colocando qualquer opinião contrária como “vilão” ou pessoas de caráter e ações duvidosas. Basta tomar como exemplo como uma médica se refere a quem não acredita em vida após a morte e como o produtor de TV, que também não acredita em vida após a morte, é colocado como oportunista e que só pensa em audiência e num bom programa. É esse mal que assola qualquer produção com fundo religioso. Exceção à regra? A Vida de Brian, do Monty Python, que faz é ironizar o fanatismo religioso.

Além da Vida

Hereafter (129 minutos – Drama)
Lançamento: EUA/França/Inglaterra, 2011
Direção: Clint Eastwood
Roteiro: Peter Morgan
Elenco: Matt Damon, Cécile de France, George McLaren, Frankie McLaren, Bryce Dallas Howard, Jay Mohr

Leia mais em: , ,

Antes de comentar, tenha em mente que...

...os comentários são de responsabilidade de seus autores, e o Bacon Frito não se responsabiliza por nenhum deles. Se fode ae.

busca

confira

quem?

baconfrito