O Último Mestre do Ar (The Last Airbender)

Cinema segunda-feira, 23 de agosto de 2010
 Também tem vontade de dar um tapa na careca dele?

Adaptação da série animada feita para televisão que conta a história de um garoto chamado Aang, jovem sucessor de uma longa linhagem Avatar (Seres que podem dominar todos os elementos), que é obrigado a deixar de lado sua infância por uma causa nobre. Após ficar preso durante 100 anos, ele acorda e somente ele tem condições para conter a Nação do Fogo (Fire Nation) que vem há tempos escravizando as Nações da Terra, Água e Ar.

Tem séries que você imagina que iriam ficar foda na telona, e Avatar – A lenda de Aang seria essa série pra mim. Sim, esse é o nome da série, não O Último Mestre do Ar (Coisa cafona), mas imagina a seguinte situação, na fila do cinema, usando a família da Zuleisse (Sim, é FICTÍCIO. QUALQUER similaridade com a vida real quer dizer que sua família é escrota) se fosse esse nome:

Imaginação ON

Zuleisse – Vamo assistir o quê? Consegui esse tickét na prumução da gelatina.
Marido (Zuleidisson) – Que tal Avatar?
Zuleisse – Mas eu já vi esse.
Filho (Zuleissesson) – Esse é diferente mãe, é duma série da Nickelodeon, adaptada para o cinema, e não o Avatar do James Cameron
Zuleisse – *cai no chão tremendo e espumando devido a um aneurisma por muita informação*

Imaginação OFF

Então, por isso, os gênios do cinema resolveram transformar Avatar – A lenda de Aang em O Último Mestre do Ar.

 Único jeito de dar banho no Appa

O filme é uma adaptação dessa série que, pra mim, é um dos melhores desenhos que passou na Nickelodeon, e de longe o com o melhor enredo (“Putz, mas Catdog…” NÃO, NEM TERMINE ou eu te BATO!!!). Tudo tem base em uma mistura de anime, arte chinesa – sua história e mitologiahinduísmo, taoísmo, budismo e Yoga, ou seja, a Ásia no liquidificador. A série foi criada por Michael Dante DiMartino e Bryan Konietzko, e adaptada pelo aclamado diretor M. Night Shyamalan, que, por sinal, adaptou MUITO bem a série.

 Se não sabe brincar, devolve o caminhãozinho

M. Night Shyamalan é conhecido no mundo inteiro por seus filmes como A Vila e Sexto Sentido, e tem certa tendência a fazer finais com viradas de roteiro. E o que aconteceria se ele pegasse um filme para adaptar? Ele faria milagres! E esse milagre virá em três partes, começando com esse que é o Livro da Água (Depois da Terra e por ultimo o do Fogo), e eu espero não morder a língua quando os outros livros saírem.

 E o bravo Aang diz: SOCORRO!

Pela primeira vez eu fico feliz em chamar algo de adaptação para o cinema, já que o filme tem os elementos clássicos da série, como o começo, e a maioria dos detalhes, tanto históricos como de cenário. Claro que ele não conseguiu cobrir tudo, afinal é uma série com VÁRIOS episódios, e em três partes, assim como o filme. Tem alguns detalhes, como a pata do Appa do filme fina, e a do Appa do desenho de elefante; o tio Iroh magro; o povo da água – mais “bronzeado” – parecendo mais com esquimós; e o povo do fogo parecendo mais com havaianos, tanto que o Lorde do Fogo Ozai tem cabelo LISO e LONGO, que apenas um chato como eu repara.

 Enfrentar o Lorde do Fogo superpoderoso é a minha bunda. Saída pela Esquerda!!!

Os efeitos especiais do filme não são os mesmos que o James Cameron fez, mas, especialmente pra quem viu o desenho, traz à vida as dobras dos elementos e a mitologia criada, parecendo até que tudo aquilo pode ser possível (Doces sonhadores). Duas coisas me aborreceram um pouco: Uma foi a falta de qualidade no Kung Fu no filme, e a segunda é que o Aang não vira aquele monstro-de-água-com-sangue-nozóio-que-devasta-tudo como no desenho, e aquele bicho era mui foda.

 PS: O cara que o bastão tá a 5 cm da cabeça é um aliado

Explicando a falta de Kung Fu, parte 1: A dobra de elementos de Avatar – A lenda de Aang (E do filme) é baseada em estilos de Kung Fu, sendo eles: Para os dobradores de água o Tai Chi Chuan, da terra o Hung Gar (Pelo menos a maior parte), do fogo é o estilo dos Shaolin do Norte e os do ar o Baguazhang. Explicando, parte 2: Os atores foram levados para um campo e durante semanas treinaram seus respectivos estilos, pelos menos 8 horas por dia, todos os dias. Mas o filme é baseado em uma cultura que treinava esses estilos desde quando descobriu que poderia dobrar o seu elemento, então ficou um pouco batida a performance de atores, que mal aprenderam o estilo. Mas se pegassem alguém que só sabia Kung Fu, iriam pecar na interpretação, então não tem por onde sair. Pelo menos deu pra enrolar e ficou uma coisa decente.

 Eu não vou fazer dancinha indiana no final, e quero ver quem me obriga

Em resumo, o filme tá uma maravilha, bem feito, bem adaptado, com bons efeitos, som também, realmente uma obra que qualquer pessoa pode ver a gostar, e, acredite, futuramente você vai ver um monte de criança na rua fingindo que são o Aang e tentando descer o cacete em qualquer um. Sinceramente, espero que esse filme entre em alguma categoria no Oscar, aí o pessoal aprende a fazer uma adaptação parecida com o original, e para de fazer cagada em Wolverine outras franquias.

O Último Mestre do Ar

The Last Airbender (103 minutos – Aventura)
Lançamento: EUA, 2010
Direção: M. Night Shyamalan
Roteiro: M. Night Shyamalan
Elenco: Jackson Rathbone, Dev Patel, Cliff Curtis, Nicola Peltz, Noah Ringer, Jessica Andres, Seychelle Gabriel, Shaun Toub, Randall Duk Kim, Dee Bradley Baker, Ali Khan, Aasif Mandvi, Ben Cooke, Katharine Houghton, Keong Sim

Leia mais em: , , ,

Antes de comentar, tenha em mente que...

...os comentários são de responsabilidade de seus autores, e o Bacon Frito não se responsabiliza por nenhum deles. Se fode ae.

  • vassourada

    Interessante. Sua opinião foi totalmente contrária a 99% da crítica geral e da crítica nerd que massacraram o filme.

  • Fernando F. Lima

    Oscar? para ser sincero vai chover indicações ao framboesa de ouro para “The Last Airbender”

  • Climber

    Eu ia falar QUASE exatamente o q o Vassourada falou, pois o q eu li não foi 99%, mas 100% das criticas.

    Talvez eu esteja lendo o mesmo crítico crica em diferentes lugares.

    Mas um amigo recomendou…

  • Willy

    Ô povo pega pessado mesmo hein?… É o seguinte, concordo com o amigo João ai, por que vi o filme essa semana e ele atendeu às espectativas esperadas, sou um pouco suspeito para falar dele, por que sempre ouvi sobre o anime, mas nunca o vi, só algumas partes que juntando não dá nem um episodio inteiro!! Só que o filme trata de esclarecer a pobres mortais como eu, o que ele pretende com a história, e qualquer um que nunca tenha ouvido falar do que se trata, sai da salinha percebendo tudo (ou quase tudo da história)… Gostei dos Efeitos, gostei da história,gostei dos cenários,gostei da semelhança com o pouco que tinha visto do anime!! e aguardo com as mesmas expectátivas os filmes seguintes… o que não dá é para ficar esperando um filme que te queime, molhe ou assopre no cinema, pq essa tecnologia ainda não existe!! Gostei mesmo!!! e Parabéns ao João pela bela resenha…muito bem feita!!
    Valeu..

  • Luh’

    Só eu achei que aquele Príncipe do Fogo lá tinha cara de drogado em abstinência? D:
    Mais enfim, eu vi o filme hoje, e sendo fã do anime gostei bastante (:

  • Diego

    Pro filme ter ficado melhor, só faltou o Zuko
    carequinha e Iroh Gordo. lol
    E claro, no final o Aang ter virado aquele
    gigante fodao de agua, mas acho que quiseram
    puxar o filme demais pro lado bonzinho dele,
    evitando os confrontos e talz.
    E sim, pra tu explicar o nome pra quem nao conhece
    a serie é TMI na certa. =_=

  • Diego

    Sinceramente, 100% das críticas foram ruins! eu até hoje não vi um filme ser tão linchado por todos, maas com isso tenho que admititr…

    ELES TEM RAZÂO!!

    Sim, é interessante ver um crítica boa para o filme, pois eu particularmente achei uma merda. Discordo de pratixamente todos os pontos positivos que vc falou, o potencial desse filme era altíssimo, nunca ia ser tão bom quanto a série animada de verdade, mas tenho certeza que poderia chegar perto. Mas não foi isso que eu vi. O que eu vi foram várias mentiras, roteiro malfeito, coreografias fail, e tantos outros erros que poderiam ser corrigidos de uma maneira tão simples, mas foram completamente ignorados pelo diretor.

    Li as críticas ruins apenas depois de ver o filme, e só pude concordar, pois era a mesma opnião que eu tive quando sai da sala de cinema, “Que merda! Eu paguei para ver isso?”

busca

confira

quem?

baconfrito