Match Point: Ponto Final (Matchpoint)

Filmes bons que passam batidos domingo, 25 de abril de 2010

Tela Quente! O que passa naquela merda que presta? Quase nada, mas de vez enquando temos a sorte de assistirmos algum filme bom.

Foi assim com Closer, Beleza Americana e o filme de hoje: Match Point, o primeiro filme do Woody Allen que eu vi.

Sinopse: Um tenista profissional irlandês é acolhido no seio de uma família de alta sociedade inglesa, recebe um cargo em sua empresa e se casa com sua filha. Sua relação com a família é afetada quando vive uma aventura amorosa com a ex-noiva de seu cunhado, uma jovem e sedutora norte-americana que procura inutilmente espaço em Londres como atriz.

Chris Wilton (Jonathan Rhys Meyers) é um ambicioso ex-jogador profissional de tênis, que anseia subir na vida de qualquer forma. Após ser contratado para dar aulas em uma academia da alta sociedade londrina, vê a sua grande chance de tirar o pé da jaca. O cara é malandro para caramba, se aproxima de Tom Hewett (Matthew Goode) e faz “amizade” com ele. (Mentira, ele só quer casar com a irmã do cara para conseguir a tão sonhada boa vida!).

 “This is the goodlife”

Mas o cara é tão cara de pau que nem pegando a irmã do ricaço sossega. Ele pega a noiva do cara e os dois se apaixonam. O Chris agora tá fodido. Tem que manter a esposa e a amante, (Se uma já dá trabalho, imagine duas.) A Nola (Scarlett Johansson, gata bagarai) vai deixando sua conformidade com o posto de “a outra” quando descobre que está grávida, e começa a fazer pressão no cara para eles se casarem, já que o Chris diz que a ama invés da esposa (Como todos nós, homens). Só que é aquela coisa, todo dia ele fala que vai terminar com a esposa, só que você acha que o cara vai querer largar da boa-vida que ele tanto lutou para conseguir? NOT

Certo dia, depois de dizer para Nola que estava em uma reunião na Sardenha, ao sair de um restaurante é visto pela Nola na rua (Que azar danado, hein?). A ex-atriz se indigna e decide acabar com a enrolação do Chris; se ele não terminar com a Chloe do Smallville (A esposa dele, noobs) ela irá pessoalmente contar a ela sobre o caso.

 Só pentada violenta

O que é mais importante? O amor da sua vida ou La plata? Muito bem, vocês que responderam o segundo ninguém. Chris bola um plano para matar Nola e se ver livre das chantagens dela. Compra alguns tickets para ir com Chloe a uma ópera, pega uma espingarda do pai dela, marca de encontrar com Nola no horário de saída do trampo dela e põe o plano em prática:

Vai até o apartamento da velhinha vizinha da Nola, entra lá, mata a véia e rouba algumas jóias e uns remédios. Depois o cara espera a Nola subir no elevador e mata ela, com toda calma do mundo vai pra casa e depois vai junto com a Chloe para a ópera, para criar um álibi.

Na investigação das mortes, a policia de Londres encontra um diário da Nola e chama Chris para depor e descobrem o envolvimento dele com a ex-viva atriz. Só que os policiais são burros para caramba e deixam se levar pelo apelo e pela cara de bonzinho do Chris. O bom é que o final é não-clichê.

 Todo mundo te odeia, Chris

Nesse que é o primeiro filme de Woody Allen fora de New York (Cenário da maioria dos filmes dele como, por exemplo, o belíssimo Manhattan) vemos uma Londres muito bonita e bem fotografada, como já é característica do diretor esquisito. Allen sempre consegue captar em seus filmes o ambiente cosmopolita das grandes metrópolis e incrementá-las com seu próprio charme. Outra das características marcantes de Allen também está presente em Matchpoint: A intertextualidade com nomes como Sheakspeare, Dostoiévski e, na mais marcante, na minha opinião, o diálogo que deixa os fantasmas sem argumentos, citando Sófocles, já perto do final do filme.

Match Point é um ótimo filme de Woody Allen, que pode não agradar a todos por fugir um pouco da comédia que o consagrou, mas que consegue ser inteligente e prender a atenção até o final. Não percam a oportunidade de desenvolver estes cérebros de abobóras que vocês têm e vão assitir esse filme.

Match Point: Ponto Final

Matchpoint (124 minutos – Drama)
Lançamento: Inglaterra, 2005
Direção: Woody Allen
Roteiro: Woody Allen
Elenco: Scarlett Johansson, Jonathan Rhys-Meyers, James Nesbitt, Emily Mortimer, Matthew Goode

Leia mais em: , , , , ,

Antes de comentar, tenha em mente que...

...os comentários são de responsabilidade de seus autores, e o Bacon Frito não se responsabiliza por nenhum deles. Se fode ae.

  • Com o perdão da palavra, um filme bom para caralho. Srsly.

  • Caio

    Só um adendo: Não é Tela Quente, tela quente é só segunda com “Filmes Inéditos na televisão brasileira”. Este, se não me engano, chama-se “Sabado à noite”. E este filme passou no mínino 3x (com essa) ;p.

  • Claro que é Tela Quente. EU assisti todos os filmes citados lá.

  • Lil

    Coincidência, tb foi o primeiro filme do W. Allen que eu vi, e gostei muito justamente por fugir um pouco da linha de comédia dele. É um filme “normal”, mas com os toques de genialidade e do inusual que o Woody sempre acrescenta nos filmes.

    Uma sessão que até a última vez que vi [algum tempo xD] passava até bons filmes era o Cine Belas-Artes do Sbt. Não sei como está agora, mas depois ainda passava uma sessão dupla que passava filmes melhores ainda.

busca

confira

quem?

baconfrito