Eu Te Amo, Cara (I Love You, Man)

Cinema quinta-feira, 23 de Abril de 2009

 Depois de anos de um namoro atrás do outro, o corretor imobiliário Peter Klaven descobre que sua falta de amizades masculinas preocupa sua noiva, Zooey Rice. A partir daí, ele inicia uma busca desesperada por um amigo e padrinho de casamento e conhece, por acaso, o carismático “pretendente” Sydney Fife. Os dois acabam embarcando em um relacionamento que ensina Peter algo que ele desconhece, o verdadeiro significado da amizade entre homens. Mas isso também ameaça sua relação com Zooey, fazendo com que tenha que tomar difíceis decisões.

E, mais uma vez, venho aqui engambelar vocês com a minha conversa mole de que não sabia nada sobre o filme antes, apesar de ser verdade. A única coisa que eu pensei quando soube o nome do filme foi: “Caraio, çaporra não é brasileira não, né?” [Eu não tenho preconceito com todos os filmes brasileiros, só as comédias a lá Zorra Total.] É claro que com um nome desses dá pra saber que é comédia, afinal, nenhum outro tipo de filme usa nomes com vírgula. E eu não tenho certeza disso, foi só um chute infundamentado.

 “Comi pão. Dae, quer pão?”

A história começa com Peter Klaven pedindo Zooey Rice em casamento, e é claro que ela aceita. Como eles foram até um terreno distante pra ele fazer o pedido, ela liga pras amigas no carro, no viva voz. E Peter acaba ouvindo coisas que não devia.

 “Só porque ele peida e não fecha a porta pra ir ao banheiro?”

É ai que ele se dá conta [Ou dão conta por ele] de que ele não tem amigos. Só colegas. Todos os relacionamentos masculinos que ele tem tem a profundidade de um pires. Ele não tem um grande amigo, um companheiro pra todas as horas, só colegas e conhecidos. E como ele vai casar, precisa de um padrinho. E onde arrumar um?

 “Qualé, eu sou macho, cara.”

O filme é baseado nisso, na verdade. Na busca do grande camarada que Peter nunca teve. E ele acaba o encontrando, depois de muita busca, no malandro Sydney Fifo, um cara meio maluco, com quem ele aparentemente não tem nenhuma ligação. E eu sei que isso ficou com muita cara de Sessão da Tarde, mas tudo bem. O que importa é que os caras zoaram muito bem os filmes do mané que não sabe se relacionar com mulheres e pedem ajuda aos amigos. Eu ri demais vendo essa porcaria, então nóis recomendammm

Eu Te Amo, Cara

I Love You, Man (105 minutos – Comédia)
Lançamento: EUA, 2009
Direção: John Hamburg
Roteiro: John Hamburg e Larry Levin
Elenco: Paul Rudd, Rashida Jones, Sarah Burns, Greg Levine, Jaime Pressly, Jon Favreau, Jane Curtin, J.K. Simmons, Andy Samberg, Jean Villepique

Leia mais em: , ,

Antes de comentar, tenha em mente que...

...os comentários são de responsabilidade de seus autores, e o Bacon Frito não se responsabiliza por nenhum deles. Se fode ae.

  • Porra, velho! Esqueceu de comentar que boa parte da amizade que nasce entre os dois se dá por conta de RUSH! As cenas onde tem a música ou comentários à banda são ótimos! Curti muito o filme também, mesmo geral tendo deixado-o de lado…

  • @Minduim
    Eu não gosto tanto assim de Rush, cara.

  • @Pizurk
    Ah, qualé véio! LIMELIGHT é umas das melhores músicas da história!

busca

confira

quem?

baconfrito