Ai, se eu pudesse…

Cinema terça-feira, 09 de agosto de 2011

Acredito que todo mundo aqui já teve uma pira como essa algum dia, algo como “se eu pudesse, faria tal coisa!”. Acontece que eu penso isso com mais freqüência que o normal, e às vezes consigo ir mais longe que os outros. E bom, não que vocês tenham perguntado ou pedido, mas hoje vou levá-los ao interior da minha mente. É, é isso mesmo, hoje vou mostrar pra vocês coisas que eu penso sobre cinema e que se tivesse o poder para tal, o que faria. Se você é louco o bastante (Com certeza, você lê o Bacon!) clica aí e descobre com o que eu gasto neurônios.

Faria um remake de qualidade do livro O Cemitério Maldito de Stephen King.

 Church com o capeta no coro!

Uma das minhas maiores decepções da vida foi assistir o filme de 89 e notar como cagaram com um livro incrível desses. Só salva mesmo a trilha do Ramones, porque o resto é um lixo. Pet Sematary é um livro altamente assustador, com cenas praticamente prontas para o cinema. Não entendo como ainda não tentaram fazer uma nova versão, honrando o trabalho de King.

Daria um Oscar de Melhor Diretor ao Kubrick.

 Minucioso.

Isso 11 em cada 10 cinéfilos tem vontade. Uma das maiores injustiças da história do cinema, afinal, nosso querido Stanley Kubrick morreu sem nunca receber um Oscar de direção. Laranja Mecânica, 2001: Uma Odisséia no Espaço, O Iluminado, o cara era um gênio! Seu perfeccionismo e profissionalismo criaram clássicos da sétima arte e nunca um outro diretor conseguiu se igualar à ele. Até um Oscar póstumo, com uma edição do prêmio totalmente voltada para homenagens à ele já passou pela minha cabeça.

Produziria um filme dirigido pelo Ben Affleck.

 Atrás das câmeras fica ainda mais bonito…

Pouca gente sabe, mas Ben Affleck é um promissor diretor de cinema. O cara se arriscou com Atração Perigosa e, na minha opinião, começou com o pé direito. Pra se ter idéia, Jeremy Renner concorreu ao Oscar de Melhor Ator Coadjuvante por esse filme, e um ator sempre se destaca com uma boa direção. Pela promessa de bons filmes, arriscaria meus milhões (Cof, cof) num filme do Ben Affleck.

Proibiria filmes com animais que falam.

 SHUT UP!

Puuuuuta merda. Como eu ODEIO filmes com animais que falam. E olha que eu curto um filme de fantasia e tudo mais, mas cachorro que fala, macaco que fala, papagaio, putaqueopariu. Aprendam com Beethoven, amigos… Filme com cachorro fofinho, engraçadinho e que continua sendo um cachorro normal. Que. Não. Fala.

Juntaria Meryl Streep e Anthony Hopkins num drama.

 Ai, ai…

Dois de meus romances preferidos são estrelados por esses dois atores fantásticos. Seria um desbunde de atuação, olhares enigmáticos e emoções fortes. Poderia até não ser focado no amor, poderia ter um toque de suspense, mexendo com outras naturezas do ser humano. Certeza que mandaria uns prêmios à jato pra prateleira dos dois.

R.I.P. Mark Wahlberg

 PORRA, Mark Wahlberg!

Detesto com todas as minhas forças a atuação dele. Que me perdoem os fãs, mas pra mim Mark Wahlberg só sabe franzir a testa, virar a cabeça de ladinho e dar umas fungadas. Eu expurgaria o mundo do cinema de não-talentos como esse e impediria que ele tirasse o lugar de atores melhores em filmes realmente bons, como foi o caso de Os Infiltrados.

Tentaria filmar nos modos antigos.

 E no meu sonho, Marilyn teria vivido muito mais.

Não sei se vou conseguir explicar, mas sabe aquela cor, aquele clima dos clássicos antigos? Pode até ser só o defeito das antigas câmeras, a falta de tecnologia, os diálogos ensaiados, os poucos closes, porém aquela aura me fascina. Talvez filmar nesses termos hoje seja impossível, mas já que estamos falando das minhas piras, no meu mundo eu seria capaz.

O Brasil teria educação cinematográfica.

 Educação Física é o caralho!!!

O Governo incentivaria o estudo do Cinema e teríamos campanhas, professores capacitados nas escolas, projetos bacanas e conseqüentemente bons profissionais do ramo. Haveria investimento, abertura de estúdios e não íamos precisar comer 10 minutos de filme passando o nome dos 15.721 patrocinadores que ajudaram o filme a sair do papel.

E agora, eu acordo!

Leia mais em: , , , , , , ,

Antes de comentar, tenha em mente que...

...os comentários são de responsabilidade de seus autores, e o Bacon Frito não se responsabiliza por nenhum deles. Se fode ae.

  • http://twitter.com/heylucas heylucas

    Medo da verdade também é um filme muito bom do Ben Affleck

  • yuri

    E digo mais, Oscar de melhor diretor para Hithcock e Chaplin também.

    E eu juntaria Meryl Streep e Jack Nicholson. São tantas coisas que poderiam ter sido diferentes…

  • Cinemarco Cineclube

    Discordo totalmente com o primeiro item da lista, embora eu não tenha lido o livro. Como filme de terror, é excelente. Um clima excepcional com cenas arrepiantes, vide aquela da irmã da mãe dos meninos. Porra, é ducaralho! E a cena da criancinha quando a família está num campo conversando? Pô, que dramática. Concordo se você disser que os efeitos especiais não são de primeira, ok, até no final dá de ver facilmente que não é uma criança sendo carregada no colo, e sim um boneco, mas… mas… mas o que importa é que o clima desse filme funciona, cara! Livro é uma coisa, filme outra. E o filme é bom, sim.

    Já o Kubrick. Eu também não concordo, diria que 12 em cada 10 cinéfilos sentem injustiça quanto a avaliação dele no Oscar.

  • Jade Zamarchi

    Concordo super!

  • http://twitter.com/EdsonJunior28 Edson Junior

    Animais falantes não são o problema, mas o enredo do filme nos qual esses animais são colocados. Animal farm (a revolução dos bichos) é sensacional!
    Os comentários irônicos de Napoleon são fantásticos!

  • Samuel

    Hahaha, um dos meus sonhos realmente é filmar em Technicolor!

  • Jade Zamarchi

    Quê? Cê vai avaliar o filme por duas cenas medianas? O resto do filme é um lixo! O único clima é de terror trash (dos ruins). Eu já falei por aqui que cinema e literatura não se misturam, mas se o filme fosse bom eu não reclamaria. Acontece que se o filme explorasse o potencial dado pelo livro, o resultado teria sido BEM superior. Mas eu entendo seu ponto de vista e gostar de um filme incluiu gosto pessoal.

  • Jade Zamarchi

    Tem esse agravante e os filmes bons que exploram o “recurso” são raros, raríssimos.

  • Jade Zamarchi

    Sim, além de ter trabalhado em curtas e roteiros. Acredito no potencial dele :)

  • Gabriel

    Pleno séc. XXI e a galera ainda glorificando Animal Farm.

  • http://twitter.com/EdsonJunior28 Edson Junior

    Ainda que fosse o séc XXII…
    Boas sacadas enaltecidas nunca são demais.

  • juliano

    concordo na parte dos patrocinios brasileiros

    sempre brinco q no brasil cada um da um real pra conseguir fazer o filme rs

  • Cinemarco Cineclube

    Eu vou levar muito em consideração seu comentário, afinal lesses o livro e eu não. Inclusive, desejo lê-lo em breve. Mas enquanto eu não leio, ainda acharei esse filme uma obra de horror que me fez puxar a coberta de medo, e terror bom é o que faz isso! hehehe E o trash é fera, cara! A gente tem que saber curtir, não acha? Vê Toxic Avenger! hiuhauiuiaahiua

    Abraço, valeu pelo comentário.

  • Henrique Rosler

    Eu gostei do “Cemitério Maldito”, ams não posso falar, pois não li o livro.

busca

confira

Trutas
  • Ahnão
  • Bobolhando
  • Corvo
  • Di Vasca
  • Estranho Sem Nome
  • Facada no Fígado
  • Fail Wars
  • Gamer Sith
  • Lógica Feminina
  • Manolagem
  • MauoÊ
  • O Macho Alpha
  • Petit Cookie
  • Que Diabos?
  • Sake Com Sal
  • Uarevaa

quem?

baconfrito