Sherlock Holmes

Cinema quinta-feira, 07 de janeiro de 2010

 Em uma nova e dinâmica representação dos personagens mais famosos de Arthur Conan Doyle, ´Sherlock Holmes´ enviará Holmes e seu fiel parceiro Watson em sua mais nova aventura. Revelando habilidades tão letais quanto seu lendário intelecto, Holmes irá lutar como nunca para combater um novo inimigo e desmascarar um plano mortal que pretende destruir o país.

Sherlock Holmes. Claro que todos vocês, imbecis acéfalos, tem que ter ouvido/lido esse nome em algum momento de suas vidas desprezíveis. Se isso não aconteceu, você não existe, favor sair da internet e ir pro povoado Amish mais próximo. E se você não sabe o que é um Amish, morra. Enfim, divago, como sempre.

E eu, Uiara, comentarei intrometidamente em itálico. Primeiro porque tenho preguiça motivos particulares pra não fazer uma resenha só minha. Segundo porque meu chefe é um tonto que não tem envergadura moral pra falar do detetive mais famoso da ficção, já que nunca leu um livro dele.

Nesse filme, que é um dos mais esperados os últimos tempos [Até onde eu sei], somos apresentados à Sherlock Holmes, o detetive mais brilhante do mundo, dono de uma lógica impecável [E até ridícula], deduzindo coisas que nós, meros mortais, nunca teríamos sequer chance de notar, mesmo com uma placa de neon gigante apontando.

 A Uiara ficou molhadinha nessa cena.
Tanto que me afoguei e nem lembro.

É claro que, por ser um filme de detetive, qualquer informação a mais que eu dê nessa resenha porca e mal acabada vai estragar metade do filme, então tomarei cuidado com o que escrevo aqui. Mas o que acontece, basicamente, é que Sherlock está entediado, e nenhum dos casos que seu companheiro sexual [Que devia ser um gordinho bonachão], Dr. John Watson, apresenta lhe comovem. Ele acaba com eles como quem come um biscoito amanteigado.

 Sem grudar no dente. E com chá, como todo bom inglês.

Só o ilustrador acha que o Watson deveria ser um gordinho. A verdade é que John H. foi pra guerra e o escambau. A falha no filme foi colocar um Watson serelepe e lutador, já que por conta de uma batalha o homem é um tanto manco. Já Sherlock pratica boxe nos livros, o que contradiz uma das maiores críticas ao filme. Além disso, Holmes também usava MUITA dogra e achava que mulheres eram distrações perigosas e desnecessárias. Portanto dizer que o Sherlock de Guy Ritchie era um drogado gay é absurdo. Ele só usava drogas pra se estimular (tanto quando estava entediado sem um caso ou quando precisava se concentrar, numa época que as drogas nem eram lá tão ilegais) e achava que o cérebro humano não é como uma caixa elástica e, portanto, só deveríamos armazenar lá coisas realmente necessárias. Paixonites não era uma dessas coisas pra Holmes.

É claro que eu não tenho nenhuma propriedade pra falar sobre o personagem, já que eu não li nenhum livro, mas o filme é bom. Entretem, prende, e você sempre se pergunta: Puta que pariu, como que eu não notei essa bosta antes? E é ai que você lembra que é burro pra caralho, e não um detetive inglês fodão da época vitoriana. Mas tudo bem, ninguém é.

 E, como sempre, tem uma gostosa.

E o vilão não é o de sempre. Ou é e eu não me toquei, mas não importa. Eu notei um quê de As Loucas Aventuras de James West, e isso não foi muito legal, acabou com a magia da coisa. De resto, o filme é fodão.

Acho mais fácil ter tido um quê de Sherlock Holmes no Wild Wild West do que o contrário. O vilão de sempre dos filmes é o Moriarty, que deve aparecer propriamente no próximo filme. Mark Strong (o vilão desse) casa perfeitamente com o estilo de Guy Ritchie, ainda que esse tenha sido o único filme até hoje do ex Sr. Madonna que não foi R-Rated. No mais, o filme é genial e mostrou o Sherlock que EU sempre imaginei. Ou quase isso. Um cara com um humor peculiar, meio maluco, que falha as vezes e tem laços de amizade com Watson de uma forma quase gay. Watson esse que é um tanto mais inteligente no filme que nos livros, mas vá lá…

Sherlock Holmes

Sherlock Holmes (128 minutos – Ação)
Lançamento: EUA, 2009
Direção: Guy Ritchie
Roteiro: Michael Robert Johnson, Anthony Peckham, Simon Kinberg, Lionel Wigram e Michael Robert Johnson
Elenco: Robert Downey Jr., Jude Law, Rachel McAdams, Mark Strong, Eddie Marsan, Robert Maillet, Geraldine James, Kelly Reilly, William Houston, Hans Matheson

Leia mais em: , ,

Antes de comentar, tenha em mente que...

...os comentários são de responsabilidade de seus autores, e o Bacon Frito não se responsabiliza por nenhum deles. Se fode ae.

  • Jake

    Orra, eu tenho que assistir esse filme.
    A resenha ficou muito boa. Bem… a parte da Uiara.

  • Ficou bem legal a resenha compartilhada, apesar do Pizuca, claro.

    Estou curioso para ver esse filme, mas ainda não vi Avatar e este está como prioridade.

  • Pizurk

    Pois é, dona Uiara. Tou vendo que vou ter que largar a parte de cinema na sua mão e na do Vassourada.

  • uiara

    Bom, nós somos doentes por filmes. Como só tem leitor doente da cabeça no bacon, até que dá certo.

  • A resenha ficou ótima, e o filme nem se fala. O Holmes do Downey Jr. é quase a personificação do detetive, claro que tirando alguns fatos, como por exemplo, eu sempre considerei o Holmes um pouco mais sério, mas esse aspecto engraçado, ficou bom.
    E o Watson aparece meio manco no final do filme. HUM

busca

confira

quem?

baconfrito