Busca Implacável 3 (Taken 3)

Cinema quinta-feira, 22 de janeiro de 2015

 O ex-agente do governo norte-americano Bryan Mills (Liam Neeson) tenta tornar-se um homem família, mas vê tudo ruir quando Lenore (Famke Janssen) é assassinada. Acusado de ter cometido o crime, ele entra na mira da polícia de Los Angeles. Desolado e caçado, ele tenta encontrar os verdadeiros culpados e proteger a única coisa que lhe resta: a filha Kim (Maggie Grace).

Sério, eu até entendo o motivo do primeiro Busca Implacável: Nego não sabia que tava mexendo com a filha do Liam Neeson, porque, se soubesse não teria sequestrado ela. E quando falou com ele no telefone, se tivesse reconhecido quem era, o terrorista teria mandado um “desculpe, senhor, tou botando ela no chão aqui agora mesmo”. Já no segundo, chega a ser meio estúpido: “Ah, o cara matou cerca de 37 pessoas da nossa família/vila por ter sequestrado a filha dele. O que a gente vai fazer? JÁ SEI, VAMOS LÁ MEXER COM ELE, A FILHA, E A EX-MULHER, NADA PODE DAR ERRADO!” Por favor, gente, vamo pensar. Seu filho que era um mafioso não guentou, cê acha que vai guentar?

Ai, nessa sequência, nego vai lá e mata a Lenore e bota a culpa nele, achando que ele vai ser preso. Claro que quem matou ela não sabia de quem se tratava, porque, se soubesse… Ah, meu amigo, se soubesse tinha largado a faquinha de cortar rocambole Pullman que usou pra cortar o pescoço da Lenore, posto ela no chão, dado um tapinha pra tirar a sujeira e dado linha na pipa. Mas claro que eu não vou dar mais detalhes sobre quem matou ela ou o motivo, porque isso é parte da graça do filme. Mas não é como se fosse difícil descobrir. No meio do filme eu já tava com aquela dúvida quase certeira.

 Não, ele não tá falando do conjunto peculiar de habilidades que ele tem.

Mas convenhamos, quem vai ver um Busca Implacável pela descoberta do roteiro? Ou pelas belas paisagens europeias [Cê sabia que o filme foi todo rodado na França? Agora sabe]? No máximo, pra ver a filha dele, a Kim, que na minha opinião ficava melhor morena. Mas não, as pessoas querem ver o Liam Neeson sendo fodão e descendo o braço em uma galera muito mais nova que ele. Convenhamos que, na vida real, um senhor de 62 anos não tem condições de fazer as coisas que essa pessoa faz. Ou não faz, não sei até onde se extende o trabalho do dublê. O que importa é: O personagem, Bryan, é um ex-agente do caralho, mas só é quem é por ser interpretado pelo sr. Neeson.

 Genética não tem nada a ver com isso, nesse caso.

Não tem muitos efeitos especiais [Exceto se você contar dublês e acrobacias e essas coisas], não tem uma história profunda e tocante, não tem super-heróis apesar da roubalheira pro Bryan, mas tem uma reviravolta meio previsível e muito defunto, incluindo um Spetznaz metido [Não que um agente de elite de uma tropa de elite não possa, mas puta merda, a guerra fria acabou faz vinte e cinco anos]. Ah, e tem um panda. Que poderia ter sido o alvo dessa vez, mas não foi. Infelizmente.

 Maldito panda, não devia ter aceitado aquele burrito dele.

Busca Implacável 3

Taken 3 (109 minutos – Ação)
Lançamento: França, 2014
Direção: Olivier Megaton
Roteiro: Luc Besson e Robert Mark Kamen
Elenco: Liam Neeson, Maggie Grace, Famke Janssen, Forest Whitaker, Don Harvey, Dougray Scott, Jon Gries e Sam Spruell

Leia mais em: , , ,

Antes de comentar, tenha em mente que...

...os comentários são de responsabilidade de seus autores, e o Bacon Frito não se responsabiliza por nenhum deles. Se fode ae.

busca

confira

quem?

baconfrito