Termo de Compromisso das Webcomics

Webcomics terça-feira, 03 de janeiro de 2017

Vamos falar de comprometimento. Sim, de novo. Não é segredo pra ninguém que eu gosto de webcomics, sejam sobre video games, fadas, robôs escravos sexuais ou futuros pós apocalípticos, e tal qual os temas desses quadrinhos o comportamento de seus autores muda bastante, com alguns tratando a obra do mesmo jeito que uma editora tradicional trata, e outros tratando a obra como um favor ao mundo.

Bora chutar o balde logo de início porque sutileza é para os fracos: Você é um bosta.

Tô no meio dessa coisa de “produzir conteúdo na internet” há um tempo, e sei perfeitamente bem que o treco não é fácil, mesmo que o que eu faça seja uma porcaria. A questão é que eu sei que não tem um programa com um botão “fazer” que automatiza a parada toda; a grande facilidade da internet é a logística, não a produção. Mas, como praticamente tudo na vida, “produzir conteúdo na internet” é uma escolha individual que eu, assim como quem faz webcomic, decidi seguir.

Então eis aí o grande ponto: Você, por conta própria, decidiu fazer um quadrinho e botar na internet pro mundo ver. Você tem uma história pra contar, tem as páginas pra desenhar, o site pra publicar, as redes sociais pra atualizar: Você definiu que vai botar no ar uma página por semana, que vai manter um fórum de discussão sobre a sua obra e que, eventualmente, vai contar com seu público pra um financiamento coletivo e finalmente publicar “de verdade” o seu trabalho. Você pode parar isso tudo numa questão de meia hora. Deletar todas as páginas, cancelar o domínio, apagar todos os seus posts.

E porra, cê quer fazer coisa pra internet? Ótimo! E de graça? Melhor ainda! Quer pedir pra te financiarem, quer ter material exclusivo pra assinante e fazer easter eggs personalizados pra quem te acompanha? Espero que dê certo! Mais aí, um belo dia, cê atrasa uma nova página da sua história, alguém que segue o teu trabalho te cobra e cê manda um

EU NAO TE DEVO NADA, BRÓDER

E aí o bagulho desanda. Não porque quem te cobrou te financia ou não, não porque a pessoa acompanha o que cê faz ou acabou de conhecer, mas pelo simples fato de que a escolha de publicar o quadrinho foi total e completamente sua. Você redigiu o contrato, leu e assinou. Você se comprometeu a fazer o que quer que seja, no ritmo que for e, logo, seu público espera que você cumpra seu compromisso consigo mesmo.

O problema não é atrasar, e sei que enche o saco cê dar uma escorregada e nego já reclamar (Tipo quem buzina quando o semáforo acabou de abrir), mas você DEVE SIM explicação. DEVE SIM satisfação pra quem lê o seu quadrinho, independente de te dar dinheiro ou não, de mostrar pros amigos ou não e te cobrar ou não. Esse é o público que te faz como quadrinista. Que te dá nome, seja na internet seja fora dela. É dessa gente que cê pede dinheiro e espera views a cada nova página. Eles estão todos jogando o jogo segundo as SUAS regras e você tá cagando no tabuleiro todo.

Isto aqui não é uma indireta e nem aconteceu comigo, mas é algo que já vi demais. E sempre tem o puxa saco pra mandar aquele “tem razão, é de graça e eu não posso esperar nada”, numa mistura de vitimismo e resignação tristíssima.

A pergunta é uma só: Se amanhã te oferecem um emprego numa editora qualquer, você acha realmente que vai conseguir viver de quadrinhos mandando qualquer um que espera que você faça seu trabalho do jeito certo ir tomar cu? A diferença não é ser pago pra nada, mas sim que, seja num emprego seja pra você mesmo, você assumiu o compromisso de fazer quadrinhos.

Isso não significa que você não possa errar, que não possa ter um imprevisto qualquer e nem que não possa deixar a tua webcomic de lado por um tempo, com ou sem aviso prévio. Significa que, se te encherem o saco porque você não fez a tira da semana, é porque querem mais do seu trabalho, querem saber o que acontece à seguir com aqueles personagens, que fim vai dar a situação, o que fulano diz em seguida. O problema, o seu problema, é que começar a webcomic foi uma escolha sua, mas se realmente quiserem, terminar a webcomic não depende de você. Porque se quiserem te foder, você não pode fazer nada. Isto não é uma ameaça, é um fato: Ninguém pode contra a internet. E esse tipo de arrogância definitivamente não te ajuda.

Então toma aqui a real pra ti, quem sabe te ajuda: Sua webcomic é uma dentre milhões na internet. Tem sempre alguém que escreve melhor que você, que desenha melhor que você, que administra página na internet melhor que você. Tem gente que pode perfeitamente fazer a sua história melhor do que faz. Se alguém decidiu tirar tempo de sua vida pra acompanhar o que você faz é porque essa pessoa acha que o seu trabalho vale à pena. O seu trabalho, com erros, atrasos, cagadas, e, claro, acertos e o seu “toque pessoal”. E se você gosta da sua obra, se quer viver dela, se quer construir uma carreira, você tem que ter consistência em seus atos e sua postura, muito mais do que na sua escrita ou arte.

Talvez seja difícil porque, quando você conecta a internet, clica num link pra fazer seu blog e enfim agenda sua primeira página você não tem que assinar um contrato e nem mesmo há um “Termos de Uso” que te explique como a coisa toda tem que funcionar. No fim das contas, não é justo te cobrar por algo que ninguém te avisou e você não sabia. Mas vamos solucionar isto agora.

Você quer ter leitores e, talvez, ser um profissional da área. Você definiu publicamente sua obra e como a publicação dela vai ser. Você espera que seu público o siga, suporte e encoraje. Você se comprometeu a fazer a sua webcomic, agora faça-a.

Leia mais em: , ,

Antes de comentar, tenha em mente que...

...os comentários são de responsabilidade de seus autores, e o Bacon Frito não se responsabiliza por nenhum deles. Se fode ae.

busca

confira

quem?

baconfrito