Estreias da Semana – 03/11/2016

Cinema quinta-feira, 03 de novembro de 2016

Doutor Estranho (Doctor Strange)
Com: Benedict Cumberbatch, Chiwetel Ejiofor, Tilda Swinton, Rachel McAdams, Mads Mikkelsen, Scott Adkins, Amy Landecker e Benedict Wong
O doutor Stephen Strange é um neurocirugião foda, que se acha pra caralho muita coisa, e se fosse vilão todo mundo iria odiar. Mas ele é o herói, e obviamente sofre um acidente que fode sua vida, já que as mãos dele não funcionam mais como deveriam, o que é um empecilho pra alguém que usa instrumentos de precisão. Depois de tentar tudo que a medicina moderna tem pra oferecer, ele vai atrás de um lugar chamado Kamar-Taj, que teria a solução pros problemas da sua vida. O que ele acha, no entanto, é uma nova perspectiva de realidade, e ele tem de decidir se vai cuidar da sua vida ou defender o mundo de inimigos ignorados por outros heróis.
A Marvel é um caralho mesmo, os filmes tem sempre a mesma estrutura, mas esse caralho de asa de editora produtora consegue me fisgar toda vez.

A Luz Entre Oceanos (The Light Between Oceans)
Com: Michael Fassbender, Alicia Vikander e Rachel Weisz
O faroleiro Tom Sherbourne e sua esposa Isabel sempre sonharam em ter filhos, mas sabe-se lá por qual motivo nunca deram cria. Mas a sorte do casal muda quando, em um barco abandonado, eles encontram um bebê, acompanhado de um homem morto. Só que o que eles acharam que era um bilhete de loteria premiado se mostra na verdade um grande problema. E não é no sentido de comédias românticas.
Não sei vocês, mas eu vejo um título desse tipo e já ponho os dois pés atrás.

Magal e os Formigas
Com: Imara Reis, Norival Rizzo e Sidney Magal
Desiludido da vida, hipocondríaco, casado e com dois filhos, João tem uma vida bem mais ou menos. Mas quando ele começa a delirar, uma das visões que se apresenta é o cantor Sidney Magal. Como desgraça pouca é bobagem, Magal vira o guru de João, e mostra que a vida pode ser menos merda alegre.
Finalmente um filme brasileiro que me deu vontade de ver. Tudo por conta do Magal. Magal é foda.

13 Minutos (Elser: Er Hätte Die Welt Verändert)
Com: Burghart Klaußner, Christian Friedel e Katharina Schüttler
Georg Elser era só um carpinteiro alemão que, de repente, se vê num estado forte alemão [Também conhecido como Terceiro Reich]. Notando que algo de errado não está certo, Elser vê sua chance de fazer algo quando, no primeiro ano da Segunda Guerra Mundial [1939, pra quem não sabe usar o Google], ele tem uma chance de plantar uma bomba onde Adolf Hitler vai discursar. Pena que o safado do Hitler termina o discurso e vai embora 13 minutos antes da bomba estourar.
E você achando que os alemão tudo apoiavam o Adolfinho. Várias pessoas tentaram matar o cabra, só não foram muito bem sucedidas.

Intruso
Com: Danton Mello, Eriberto Leão e Juliana Knust
Ao receber um hóspede, uma família acaba se fodendo legal, tendo em vista que o truta é um psicopata do caralho que começa um joguinho em que todo mundo tem de ficar dentro de casa. Quem sair, ou quebrar qualquer uma das outras regras sem sentido, tá fudido. E quando a família se une pra tentar dar um jeito nessa situação de merda, descobrem que o buraco é muito mais embaixo do que o imaginado.
O que mais me intriga nesse filme é: Se foi feito em 2009, tá sendo lançado só agora por qual razão, motivo ou circunstância?

Indignação (Indignation)
Com: Logan Lerman, Sarah Gadon, Tracy Letts, Ben Rosenfield e Linda Emond
Ohio, 1951. O jovem judeu Marcus, que é filho de um açougueiro de Nova Jersey, entra pra Universidade Winesburg, onde conhece Olivia Hutton, filha de um ex-aluno por quem ele se apaixona. Nessas, ele começa uns rolê de lutar contra repressão sexual e anti-semitismo, que acabam por fazer com que ele seja expulso da faculdade. Dai pra frente é ladeira abaixo, com Marcus indo pra Guerra da Coreia.
Mas olha, de hippie pra soldado é uma mudança que eu não esperava. E, no entanto, eu não tenho a mínima curiosidade de saber como se deu esse processo.

Canção da Volta
Com: Marina Person, João Miguel, Marat Descartes e Francisco Miguez
Casados e com filhos, Julia e Eduardo não são a epítome de casal feliz. Mesmo estando juntos faz muito tempo, o relacionamento tá sempre ameaçado por conflitos, e as tentativas de suicídio de Julia só pioram a situação.
Ah, mermão, tá num relacionamento bosta? Separa, não tenta remendar problema estrutural com fita crepe.

Leia mais em: , , , , , , ,

Antes de comentar, tenha em mente que...

...os comentários são de responsabilidade de seus autores, e o Bacon Frito não se responsabiliza por nenhum deles. Se fode ae.

busca

confira

quem?

baconfrito