Bacon Entrevista: Mariana Camara

Livros sexta-feira, 16 de setembro de 2016

E seguindo com o projeto, a entrevistada da vez é a Mariana Camara. Autora, artesã, designer e outras coisas mil, a conversa com ela você confere a seguir.

Santhyago: Tudo bem contigo? Pronta para começarmos? Já preparou uma xícara de chá e se alimentou direito?

Mariana Camara: Tudo ótimo! Pronta e operante!

Ah sim, complete a frase antes de começarmos: Porcos são…

Fofos.

Deixa-me conferir a resposta para ver se não é um bot… Passou. Eu aceitaria se dissesse que é uma máquina de fazer bacon também.

Juro que a minha primeira ideia foi responder: BACOOOOON! Mas levando em consideração a onda vegana e o fato de serem realmente fofinhos, a segunda opção foi melhor, kkk.

A entrevista vai sair em um site chamado Bacon Frito, por sinal.

Já adorei. Bacon deixa tudo melhor.

Então, começa falando um pouco sobre quem é a Mariana quando não está criando suas histórias. O que gosta de fazer, idade, essas coisas. Se apresenta pro pessoal que não te conhece.

Normalmente, Mariana é mil e uma utilidades quando não está escrevendo, faz de artesanato até freela de web design; mas atualmente é criadora de cães. Já passou dos 30, mora no interior de São Paulo, é gamer e geek assumida bem antes de virar moda.

Geek antes das pessoas acharem que isso é uma marca de camiseta, então.

Bem antes!

E entre essas mil e uma utilidades, escreve. As outras mil utilidades tem influência quando chega a hora de colocar as ideias no papel?

Influência e ajuda muito. Como por exemplo, quase ter me formado em publicidade ou ter cursado gastronomia, que são coisas que auxiliam demais em diversos aspectos da escrita, da organização e até da divulgação.

Tudo isso te dá uma estrutura melhor pra escrever, mesmo não parecendo ter relação.

Exatamente. Todas as questões de planejamento, organização, preparo. Nada que foi aprendido das outras mil utilidades, é deixado de lado.

E como funciona o seu processo de escrita? Tem uma receita que segue como um bolo ou é diferente a cada obra que cria?

A ideia principal é diferente para cada obra e surge de forma que vão da simples até as absurdas, mas o processo que se segue após a concepção inicial, tem um padrão. A receita de bolo costuma funcionar muito bem para disciplinar a escrita, mesmo que às vezes falte um fermento ou um ovo – aí o que manda é a criatividade!

E a vontade de continuar até o fim.

Principalmente.

Você acumula muitas anotações para criar suas histórias?

Muito mais do que deveria. Cadernos, blocos de anotações, folhas soltas. Quando um detalhe ou uma cena nova surge, qualquer pedaço de papel ao alcance tem que servir.

Todas são usadas no fim das contas? Ou acabam gerando outras histórias?

Nem todas. Um grande montante dessas anotações acaba estocado e algumas até reutilizadas como cenas em outras histórias ou pequenos contos derivados da obra principal.

É o melhor de anotações. A ideia tá ali, mesmo que não seja usada. Uma hora ela se encaixa em outra história.

Sim, eu gosto de pensar que cada ideia tem a sua hora certa de ser usada. Às vezes depende do tema, às vezes da maturidade do escritor.

Compartilho do mesmo pensamento. Quais autores influenciam a sua maneira de escrever? Gosto bastante do tom de conversa descompromissada que suas histórias passam.

Minhas influências são bem ecléticas. Nunca fui acomodada em ler apenas um gênero ou estilo, mas tenho meus favoritos como Neil Gaiman, Edgar Allan Poe, Jack London e Guillermo Del Toro.

Ótimos autores! Todos tem uma narrativa que lembra muito a sua. Principalmente Neil Gaiman, com aquele jeito de escrever que cativa desde as primeiras linhas.

Gaiman é um mestre no que faz! Se a minha escrita consegue lembrar um pouquinho a dele, então fico feliz de estar no caminho certo.

Sonho em um dia escrever como ele. Até lá, vou tentando da minha maneira. Afinal, como ele mesmo disse… Escreva, escreva e escreva.

Como toda a certeza. Essa é a chave.

Como foi que conheceu o Wattpad?

Através do Tumblr, quando postava minhas histórias em blogs por lá. Alguns leitores me sugeriram criar uma conta e explicaram o funcionamento do site. Não demorou nada para migrar definitivamente.

É ótimo o funcionamento do site, quando ele não buga, claro.

Alguns bugs e erros, mas com o tempo se aprende a lidar.

Exatamente. E os blogs que escrevia, ainda existem?

A maioria deles foi desativado, grande parte porque os leitores também rumaram para o Wattpad. Atualmente mantenho um blog dentro do meu site oficial e um Tumblr pessoal.

Esse blog tem estas suas histórias que publicava antes? Fiquei curioso pra ler em algum momento. :v

Alguns trechos ainda estão no Tumblr e aos poucos vou postar no blog alguns trechos e contos.

Essa sua quase formação em publicidade ajuda na hora de divulgar suas histórias?

Ajuda demais. Graças ao curso consigo criar minhas próprias peças de divulgação, capas, banners, além de ter uma visão mais técnica do meu público.

Eu percebi isso olhando suas capas, elas tem uma identidade visual bem definida.

Acho muito importante o reconhecimento dessa identidade. O leitor consegue identificar o autor mais rápido entre outras obras, ele sabe que ali existe uma história totalmente minha.

É importante mesmo, e dá pra ver o cuidado com cada detalhe que você tem sem nem ler o primeiro capitulo, só de passar os olhos pela sinopse. Está de parabéns. ^^

Muito obrigada. ^_^

Fala um pouco sobre suas histórias. Aproveita e divulga por aqui também. :v

Minhas histórias vão do romance ao suspense, do amor adulto até os zumbis. Estou trabalhando no momento em um romance, Orleans, e tenho mais duas obras postadas no Wattpad que estão em pausa – para revisão e publicação – que são Lavanda e O Diário do Mar.

Orleans é um romance leve, com bom humor, muito Shakespeare e uma protagonista azarada que precisa lidar com um casamento forçado e um cliente insuportável que frequenta a livraria onde trabalha. Ela precisará resolver seu problemas com a tradição casamenteira da família e ao mesmo tempo lidar com as mudanças que ocorrem com seus sentimentos e vida.

Fiquei bem triste de ver Lavanda em pausa… É a minha preferida.

Não fique triste! Assim que for revisada, será postada até o fim. Lavanda é muito especial para mim.

Menos mal, gostei bastante dela. Saber que ela vai ter um fim me deixa feliz. Suas histórias são categorizadas em conteúdo adulto. Já recebeu algum tipo de mensagem hostil de algum leitor por causa disso? Sempre tem aquele que fica chocado por ter cenas meio quentes e reclamam, mesmo quando são avisados com letras garrafais no começo da história.

Esse é um assunto interessante, porque mesmo tendo escrito cenas mais quentes em Lavanda, não acho que minha escrita já chegou a chocar algum leitor. Mas em cenas mais violentas, como no caso de 3 Bad Dogs ou trechos do Diário do Mar, já tive muitas reclamações e até ameaças!

Eita. Ficou surpresa com elas? Tinham qual teor?

Na maioria das vezes, as ameaças me faziam rir muito. Os leitores embarcam na sintonia, no clima da história e ficam muito revoltados com os acontecimentos. Já teve leitor dizendo que ia me “pegar na rua”, matar, destruir a minha vida, falar mal da obra em situações mais leves; mas esses casos são raros e normalmente o leitor vem se desculpar depois.

Falam no calor do momento. Essa 3 Bad Dogs me interessou pela sinopse, mas ainda não tive tempo de ler… Saber que gerou revoltas assim nos leitores me instiga mais a querer lê-la.

Dogs tem um estilo de escrita mais pesado do que minhas outras obras. Quando ler algum trechinho, venha me fazer um comentário.

Irei sim, pode deixar. Mesmo tendo conteúdo adulto, suas histórias não chegam perto das que tanto povoam o Wattpad, as chamadas histórias Hots. Tem algum plano de escrever alguma deste estilo? Assim, pegando mais pesado em cenas eróticas?

Não me arrisco no estilo Hot. Admiro demais as autoras que escrevem tão naturalmente as histórias do gênero e conseguem manter a história fluindo, sem exageros, mas não me sinto a vontade para me aventurar por esses caminhos.

E a experiência de estar na Bienal como autora, repete quando?

Ah, a Bienal… Este ano em São Paulo, no último final de semana de agosto e no primeiro de setembro, no estande da SPZ Editora e se tudo correr bem, na bienal de Divinópolis, em novembro.

Quais livros estarão lá para divulgar?

Na Bienal de São Paulo estarei participando de três antologias da SPZ: Primeira Vez, Marcados para Sempre e Calafrios da Meia-Noite. Já para a Bienal de Divinópolis, fica o suspense para o lançamento.

Quando vai ser a de Divinópolis?

Em novembro, mas a data em que estarei lá ainda não foi confirmada.

Suas histórias são de diversos estilos mesmo, passando do cotidiano e indo até a parte de criaturas místicas como vampiros e lobisomens. Quando cria as personalidades deles, já pensa em um elenco pra compor sua história?

Nem sempre. O elenco normalmente surge depois da primeira fase da criação dos personagens, quando eu já tenho em mente toda a personalidade e estou começando a visualizar a aparência. A escolha ajuda bastante na hora de divulgar a história e criar empatia nos leitores, mas nem sempre é necessária.

É uma ferramenta legal do Wattpad, apesar de ser meio que mal utilizada por alguns. Tipo, elenco de oitenta e seis personagens.

O leitor acaba nem se interessando! Mesmo nos elencos maiores, os leitores guardam os nomes dos protagonistas quando consultam o elenco e nem querem saber dos 84 secundários.

A maneira que utiliza é a que considero a melhor. Uma vez entrei em uma discussão por isso, pois algumas pessoas estavam escolhendo o elenco antes de definir os personagens. No fim das contas desisti de discutir, não valia a pena.

Muitos autores escolhem atores/cantores/modelos que estão em alta ou são muito populares, apenas para atrair o leitor com uma capa ou banner. Mas no final aquela imagem é apenas uma casca, não casa com a escrita e menos ainda com a personalidade do personagem. Eu também não acho esse método bom. Prefiro que o personagem me aponte o elenco, não o contrário.

E Mariana… Nossa entrevista chega ao fim… Pra finalizar, gostaria de deixar uma mensagem para seus leitores? Algum conselho ou mensagem que queira dar para novos autores que estejam à procura de uma motivação para continuar a escrever?

Pode parecer clichê, mas não desistir jamais. Por mais dura que seja a crítica, os comentários, o mercado. Seguir sempre escrevendo, se isso é o que te motiva e te apaixona todos os dias. Se você pega um caderno ou abre o Word e isso preenche seu mundo, nunca deixe ninguém te dizer o contrário. Escreva para você, para contar às histórias que você gostaria de ouvir, para se orgulhar das vozes que ganharam vida com as suas letras. Se você fizer isso, o crescimento, a maturidade e tudo o mais, é mera consequência.

Fiquei emocionado com suas palavras. Alguma mensagem para seus leitores?

Aos meus leitores, acima de tudo obrigada pela (Imensa!) paciência comigo, com cada capítulo e projeto novo. Pelo carinho e consideração que tenho recebido nos últimos meses e que espero retribuir cada dia mais e mais com as minha dedicação a cada história.

E obrigado por responder as minhas perguntas. ^^

Eu que agradeço. ^^

E esta foi a entrevista com esta autora tão divertida. Não esqueçam de seguir ela nas redes sociais, no seu perfil do Wattpad e acompanhar seus outros trabalhos.

Cês sabiam que ainda tem bastante da série Wattpaders pra acontecer? Porém o que já foi tá aqui; não perdÃO tempo e corram lá!

Leia mais em: , , , ,

Antes de comentar, tenha em mente que...

...os comentários são de responsabilidade de seus autores, e o Bacon Frito não se responsabiliza por nenhum deles. Se fode ae.

busca

confira

quem?

baconfrito