Review – Songs for the Deaf (Queens of the Stone Age)

Música quarta-feira, 19 de setembro de 2007

Foo Fighters

Sabe, hoje em dia escutar rádio é um saco. Você perde a maior parte do tempo tentando sintonizar numa estação que não esteja dando interferência com uma rádio pirata de crentes, e quando consegue só tá tocando merda. MERDA! Ou então é sempre a mesma coisa, manja? Até que você pára em uma sintonia e tem um cara falando que houve um pequeno incidente, e citando um tal de “Songs for the Deaf”.

É, cê tava ouvindo um álbum do Queens of the Stone Age. E a coisa começa a FODER GERAL agora.

You Think I Ain’t Worth a Dollar, But I Feel Like a Millionaire começa arrebentando tudo na voz de Nick Olivieri, mandando ver no Scream e, é claro, Dave Grohl arrebentando na bateria. É claro que estamos falando do melhor álbum do século, então já era de se esperar que Grohl comandasse as baquetas. Tente permanecer vivo após essa faixa acabar pra não perder No One Knows, primeiro single da banda, som que me OBRIGOU a virar fã dos caras. A pitada de suspense no início dessa faixa até o refrão é sensacional e, porra, refrão? Se você ficou vivo após ouvir a primeira faixa do álbum, você morre aqui. Saca uma PEDRADA? Então, imagine uma METEORADA, agora. E isso que ainda não chegamos no solo, que vai fazer você pular da cova só pra fazer um air guitar. Não tente cantar NENHUMA música deste álbum, você NUNCA será melhor que Josh Homme, então fica na sua e não tente estragar essa obra prima.

Nick Olivieri, definitivamente, ARREBENTA no baixo, que disputa a sua atenção pau a pau com a bateria. First It Giveth é uma apelação, seu cérebro vai trabalhar pela primeira vez na sua vida pra dar o máximo de atenção a esses dois instrumentos nesta música. Aliás, cê tá curtindo, né? Então parabéns, você tem mesmo um cérebro. E vai perdê-lo quando a faixa A Song for the Dead começar, arrebentando com um riff de guitarra daqueles que te chama pra porrada, já te avisando que você não tem a mínima chance. Um dos sons mais bem trabalhados do álbum (rá, piada, o álbum inteiro dá um show de “sons bem trabalhados”), conta também com um solo sensacional que dá um toque de “improviso” na faixa. E a música não termina, os caras só vão parar de tocar quando Grohl arrebentar com a bateria inteira, mas até lá você já morreu de novo. Mas a introdução de The Sky Is Fallin’ é quase um ritual, cê vai voltar a respirar mais uma vez. Um show de Stoner Rock com um puta suspense, convenhamos, essa música dá medo. Close your eyes and see the sky is fallin’, bastard. Dá vontade de estuprar o próprio umbigo, puta merda.

Uma das partes mais bacanas do álbum são as “passagens por emissoras de rádio” que os caras fizeram. Nesta aqui tem um cara com a voz do Sílvio Santos, sensacional. Six Shooter trás Nick Olivieri mais uma vez nos vocais, e já chega arrebentando tudo. Gritaria e peso é com esse cara. Faixa rápida, já abrindo caminho pra Mark Lanegan tomar conta dos vocais em Hangin’ Tree, mais uma faixa com suspense, mas não vá correr pra debaixo da cama, frango. A voz desse cara é a mesma de uma pessoa em estado terminal falando as últimas palavras de sua vida, junte isso com uma música com um ritmo que provavelmente seria trilha sonora de uma investigação no inferno com o Jason Statham, Van Damme e Steven Seagal. O Diabo vai entrar no seu quarto com uma galera pra jogar TRUCO, véi.

Go with the Flow é a música mais animadinha do álbum, a gente merecia isso após a música anterior. Aqui você já vai estar arrumando um jeito de aumentar o seu som além do máximo, e tentando arrancar a sua avó da cadeira de rodas pra dançar. Em Gonna Leave You Josh Homme vai querer sussurrar no seu ouvido, então dê uma VOADORA no peito dele e pegue sua gordinha. É hora de mandar ver, véi, aposto que ela terá orgasmos múltiplos só com a trilha, esse ritmo é sensacional. Aliás, finalmente ela terá um orgasmo, né? Seja rápido, Do It Again já corta o clima com riffs gritantes e… gritos que vão fazer todos os cães da sua rua começarem a latir sem parar. Depois do refrão talvez ela volte a se empolgar, tendo em vista que ele é uma ótima trilha pra um bom amasso. Então, agora é hora do sexo selvagem, taí sua chance de enfim receber um elogio da patroa.

A não ser que ela seja religiosa. God Is in the Radio trás, de novo, Mark Lanegan nos vocais. Mais suspense, mas dessa vez com um toque sensual. Tá, a voz de um cara em estado terminal falando as últimas palavras de sua vida pode não ser sensual, mas você pode ignorar essa parte prestando atenção apenas na melodia da bagaça. Pra encerrar o repertório de músicas pra levar sua gordinha a loucura, Another Love Song já é um som mais animado, com direito a teclado e batida pra não deixar ela parada. Sua gordinha nunca foi tão feliz.

Mas agora fodeu.

A Song for the Deaf, o melhor som do álbum, o mais bem trabalhado, o com mais suspense, enfim, o som MAIS FODA da galáxia, que ainda leva o nome do álbum, chega DESAFIANDO você a não desenvolver uma síndrome do pânico nos primeiros 30 segundos. Sweet, soft, and low / I will poison you all / Come closer, racing to your turn. Não há como se salvar da morte, véi. Who are you hiding / Is it safe for the deaf / Beautiful cancer / Infiltrate and forget / And I saw you coming / And I heard not a thing / A mistake not to listen / When I knew where you’d been. Empolgante pra cacete, Nick Olivieri ainda começa a gritar no finzinho da faixa, você vai se CAGAR. Aí vem um trecho da música Feel Good Hit of the Summer após alguns segundos de silêncio, com os caras possuídos, e tal.

Mosquito Song é a prova de que esses filhos da puta não brincaram em serviço, conseguiram fazer um som só no violão sem monotonia, e ainda chamaram um gaúcho pra tocar sanfona num trecho do som. O som é uma melancolia do carái, mas mesmo assim, mesmo sendo com um VIOLÃO, o som é empolgante. Não, você não vai começar a pular sem parar ou bater a cabeça na parede, mas vai ENTRAR no ritmo da música, sendo a trilha sonora dele. E eu não me droguei pra escrever isso. Enfim, Everybody’s Gonna Be Happy encerra o álbum com um riff irritante e um som dançante, com direito a palmas no refrão. Você só vai ficar parado se tiver morrido, de novo. Hm… cê tá aí?

songsforthedeaf.jpg
Songs for the Deaf – Queens of the Stone Age
1. You Think I Ain’t Worth a Dollar, But I Feel Like a Millionaire
2. No One Knows
3. First It Giveth
4. A Song for the Dead
5. The Sky Is Fallin’
6. Six Shooter
7. Hangin’ Tree
8. Go with the Flow
9. Gonna Leave You
10. Do It Again
11. God Is in the Radio
12. Another Love Song
13. A Song for the Deaf
14. Mosquito Song
15. Everybody’s Gonna Be Happy

Já havia feito um “faixa-a-faixa” deste álbum na época em que o AOE era um blog, você pode vê-lo aqui. Como as coisas mudam, não?

Antes de comentar, tenha em mente que...

...os comentários são de responsabilidade de seus autores, e o Bacon Frito não se responsabiliza por nenhum deles. Se fode ae.

  • Rick

    concordo,melhor albúm ever.

busca

confira

quem?

baconfrito