O que faz uma boa série?

Televisão sexta-feira, 02 de abril de 2010

Continuando o assunto do meu ultimo texto, nada mais justo do que dedicar alguns parágrafos para elogiar ao invés de falar mal. Só dá pra dizer que uma série é uma merda graças ao fato de que, em algum lugar do mundo, existe algo que não o seja. O problema é que o bom é muito mais subjetivo do que o ruim, tomem como exemplo o digladio sobre os gigantes azuis de Avatar. Afinal, o filme é bom ou ruim? Vou dar minha opinião: Ele é bom, mas por motivos bem específicos. Eu achei que as mensagens, ainda que inegavelmente óbvias, foram apresentadas de uma forma inovadora. Sim, isso se dá, em grande parte, graças à tecnologia utilizada, mas entenda que, a meu ver, um filme é uma fórmula de vários elementos. Eu sou do tipo que não engole um filme bom com a fotografia ruim ou um filme ruim com a trilha sonora incrível, por exemplo. É uma formula, e a de Avatar deu resultados (Mas não supera Star Wars. James, pode voltar pra prancheta de trabalho).

Voltando ao tema, vou tentar explicar o que é uma série boa para mim. É importante entender que eu me preocupo com a forma com que eu assisto algo. Tem uma experiência ali a ser passada e eu tento absorver o máximo possível dela, mesmo quando estou assistindo um lixo teen da CW como, sei lá, 90210. E é ai que as séries se separam claramente. Série boa é a que me faz pensar. Ela tem que mudar, mesmo que minimamente, a forma com que eu vejo o mundo, só ai eu vou respeitar a obra. Porque, porra, o programa driblou minhas convenções, jogou na minha cara que eu estava errado, argumentou comigo e ganhou. Você tem que respeitar uma coisa dessas. Mas não existe formula para isso, cada uma me surpreende a seu modo.

 Doutor casa = deus. Isso é tudo o que você precisa saber sobre séries boas

Existe algo que é fundamental para essa diferenciação: Um bom argumento. Fazendo uso de um exemplo que pode ser até meio perigoso, e já saliento que existem exceções à regra nele também, animes opõe-se à indústria americana. Porque mesmo que seja um argumento absurdo, do tipo “Deus odeia a humanidade, por isso que está mandando monstros gigantes para nos destruir.” até “O mundo é uma coisa linda e cor-de-rosa, e todos nós deveríamos juntar nossas mãos e cantar uma linda canção sobre a paz mundial.”, o fato é que eles TÊM argumento. The Big Bang Theory, que é uma comedia excelente, não tem argumento. Ela só quer ser engraçada. Deu para sentir a diferença? Na cultura oriental, eles querem dizer alguma coisa, o que não significa que consigam sempre, já que são muito mais simbolistas e subjetivos nas suas obras, mas está lá se você procurar (Essa busca pode demorar).

Séries que eu recomendaria sem hesitar: Dexter, pela forma com que transforma sentimentos absolutamente normais, como amar seu filho e se desprender da figura paterna, em descobertas épicas do protagonista. House, por brincar com os conceitos de certo e errado e mostrar a construção delicada de cada personagem sob influencia deturpada do doutor. Skins, por toda a poesia do roteiro. Cada frase, cena, musica ou cor está lá por um motivo, e gera uma identificação.Six Feet Under, por saber como brincar com nossos medos enquanto desenvolve belas histórias. Nunca encontrei alguém que não tenha se identificado com pelo menos uma situação mostrada na série. No meu caso, é o quinto episódio da segunda temporada, “The Invisible Woman”, mas não vou contar o episodio, assistam ai, malditos. Alice, por explorar com perfeição poética a São Paulo em que eu vivo. Damages, que, em grandes reviravoltas, expõe todos os tons de cinza que existem na justiça cega. In Treatment, pelas melhores construções psicológicas de todos os tempos. TODOS OS TEMPOS!

Bom, então é isso. Estou quase terminando essa série de pensamentos sobre a indústria televisiva, agüentem mais um pouco, ainda falta mais um. E falem ai se vocês concordam com minhas recomendações ou não, se falta algo e, se sim, o motivo. Aposto que vai ter alguém falando de Lost. Ou não.

Leia mais em: , , , , , , , , ,

Antes de comentar, tenha em mente que...

...os comentários são de responsabilidade de seus autores, e o Bacon Frito não se responsabiliza por nenhum deles. Se fode ae.

  • Filipe

    Eu gosto de Greek. Me faz pensar em “o que vou ser na universidade”. Que se foda.

  • Marcela

    A minha série preferida é The Sopranos. Ela sempre conseguia me prender e ficar doida pelo próximo episódio. Mostrava situações do cotidiano, tinha partes muito engraçadas, vários conflitos, e era impossível não torcer pro Tony Soprano se safar e o FBI não conseguir pegar ninguém. Mostrava o lado durão mas também o lado humano e as trapalhadas dos mafiosos. Eles não repetiam histórias, sempre tinha algo novo e não esperado. Fiquei triste quando a série acabou.

  • Daniela

    Gossip Girl é a melhor série de todos os tempos, FATO

  • André

    Minha opinião;

    Melhor série de todos os tempos é Seinfeld. Além de ter jogado muita coisa na minha cara, cada coisa que eles tratavam como verdade absoluta, no fundo, no fundo, ERA verdade absoluta, porra! Nunca assisti uma série aonde eu concordava com quase todos os ideais podres, estereotipados e pastelões que o programa oferecia :D.

  • @Filipe

    Concordo, Greek mostra o clima universitario muuuito bem, gosto muito dela por ter personagens bem definidos e que se relacionam de forma real. Especialmente como eles sabem acabar com um relacionamento sem os cliches obvios das séries teen.

    @Marcela

    Putz, confesso que nunca vi The Sopranos, mas é trauma do tema, saca. Ouvi falar muito bem dessa série, um dia terei de ver, com certeza.

    @Daniela

    FAAAAATO

    @André

    Putz, eu considero Seinfeld algo muuuuito experimental. Não da para negar que a série criou novos conceitos, que alias são usados até hoje em alguns programas, mas eu sinto uma falta de estrutura tremenda no andamento da historia. Ou a falta dela, que seja. Seinfeld pra mim são os Beatles televisivos, você pode não gostar, mas tem de respeita-los.

  • Caveira

    Cara, House MD é a melhor série médica de todos os tempos. TODOS OS TEMPOS ²

    Além das doenças absurdas que prendem a atenção até o último minuto, a série é fantástica pela construção da personalidade única do protagonista e de seus ajudantes. FOOOODA!

    Queria saber qual é o seu bloqueio com Lost, simplesmente a melhor série de suspense dos últimos 100 anos.

  • @Caveira

    Eu não nego que é uma série boa, e absurdamente popular, ela só não me conquista. Não acho os personagens carismaticos e os absurdos numericos e fantasmas de fumaça simplesmente não atiçaram minha curiosidade pra insistir. Me pareceu muito misterio para pouco conteudo, e tudo beeeem forçado. Eu estou a par do que anda acontecendo, por que meu irmão acompanha todas as séries scifi por ai, e, pra mim, o desfecho da estoria esta soando ridiculo. Como disse a mim mesmo que só assistiria o resto se o final prestasse, a menos que os ultimos episodios tenham um plot twist fenomenal para repensar a decisão, não vou terminar de assistir po**a nenhuma.

  • Lost foi bom até a terceira temporada…

  • @Yuri

    Eu assisti Lost até a terceira temporada XD

busca

confira

quem?

baconfrito