O Nevoeiro (The Mist)

Cinema sexta-feira, 13 de junho de 2008

Nota do editor: Taí um filme que só sai em Agosto, ainda não sei bem ao certo se sai em DVD ou vai para as telonas. Enfim, feliz sexta-feira 13, frangos. – théo

Tá combinado então! A partir de agora qualquer adaptação da obra de Stephen King terá que passar pelas mãos do cineasta – também roteirista – Frank Darabont. Depois de levar ás telas, obras ditas mais “dramáticas” (Um Sonho de Liberdade e Á Espera de um Milagre) do escritor, Darabont adapta um livro de “monstro” de King, The Mist, conto do livro Tripulação de Esqueletos.

Normalmente as adaptações dos livros de terror de Stephen King pecam (sendo generoso), no entanto, quando se explora o suspense psicológico de seus personagens e tramas temos filmes como Carrie, a Estranha e O Iluminado.

O Nevoeiro (não confundam com A Névoa, recente suspense, fraquinho, com o Superman da série televisiva) recria o suspense de confinamento. Diferentes pessoas de uma pequena cidade ficam isoladas num supermercado devido á chegada de um estranho nevoeiro e com ele tudo que é tipo de criatura (que, obviamente, matam as pessoas), estranha e bizarra que a mente de King permite.

A diferença do texto de Darabont para os demais filmes de monstros de King é a abordagem da dinâmica do grupo presos no mercado. Em meio as incontáveis mortes que, não fogem do óbvio e foram colocadas em ciclos na trama, surge um discurso ambíguo sobre fé e crença (personificada na figura beata e assustadoramente manipuladora de Márcia Gay Hardem), que se mostra mais perigoso do que os monstros do nevoeiro.

Uma pena que neste momento O Nevoeiro se entrega a um moralismo antiquado, perdendo o impacto do angustiante e triste final.

O Nevoeiro

The Mist (126 minutos – Suspense)
Lançamento: Eua, 2007
Direção: Frank Darabont
Roteiro: Frank Darabont
Elenco: Thomas Jane, Marcia Gay Hardem, Toby Jones, Laurie Holden, William Sandler

Leia mais em: , ,

Antes de comentar, tenha em mente que...

...os comentários são de responsabilidade de seus autores, e o Bacon Frito não se responsabiliza por nenhum deles. Se fode ae.

  • M

    baxei o filme faz um tempo já, mto bom. recomendo

  • Eu sou tanga pra suspense, admito. Baixei por causa da resenha aqui e agora tô na metade (melhor hora para filme assim), e morrendo de medo.

    Vale a pena total, vou terminar de ver porque não consigo dormir de curiosidade de ver o final…

  • O filme valeu pelo final. O resto só foi bom pelo constante suspense/tensão.

  • HENRIQUE PERSEQUINI

    Stephen King, isso já devia dizer muito sobre o filme, mas, neste caso, não diz tanto… O Nevoeiro tenta, e consegue bem ate o segundo terço do filme. Mas é no terço final que fica possível ver o quão o filme é pretensioso e americano (mesmo fingindo ser uma critica a esse estilo) ao extremo. Mudanças de atitudes geradas pelo enclausuramento e pelo relacionamento tenso entre os personagens são entendidas e aplaudidas, a criação de um personagem problema sob a forma de uma radical religiosa (numa excelente atuação de Marcia Gay Harden), apesar de soar bastante familiar aos fãs do roteirista, surge muito bem, porém uma completa e total mudança de personalidade do personagem principal, que nos deixa entre o cômico e o trágico, só para gerar um desfecho surpreendente, marcante e lógico, como segue a regra, que tenha uma lição de moral é completamente pífia e desnecessária. Resumo O Nevoeiro com a reação que tive ao sair do cinema: Raiva por poder ser um filme fantástico, mas infelizmente não foi dessa vez.

  • Koi

    Cara, eu RI do final.

busca

confira

quem?

baconfrito