Kick Ass 2

Cinema quarta-feira, 23 de outubro de 2013

Filmes baseados em HQs estão em alta, principalmente os baseados em super-heróis. Porém, Kick Ass não se encaixa nessa categoria, já que o filme é baseado em uma HQ de heróis. E eu sei que vocês nem sabem a diferença entre heróis e super-heróis, porque vocês são idiotas. Idiotas ao ponto de reclamarem que se o filme não vai chegar dublado no cinema da sua cidade, por que diabos ele demora tanto pra estrear no Brasil. Pois, é. Tô ligado que tem gente assim lendo isso aqui. Mas eu vou fazer o seguinte, eu vou falar sobre o Kick Ass 2, mas só pra quem foi assistir o filme legendado. Você que deixou de ir ao cinema assistir porque não tinha o filme dublado, pode fazer o favor de sair daqui e não voltar mais. Por favor, é claro.

 Loney indo embora chateado após descobrir que o Evan Peters não estava no filme.

Caras, Kick-ass foi um puta filme maneiro. Sendo assim, era quase impossível que a continuação fosse ruim. Mesmo com o histórico que temos de continuações ruins. Eu sinceramente não achei Kick-ass 2 pior do que o primeiro, mas tinha como ter sido muito melhor. E sim, primeiramente irei compará-lo com as HQs. Começando com o desperdício de atores como Jim Carrey e Daniel Kaluuya com papéis medíocres, que deveriam ter sido muito mais trabalhados.

Os caras do filme preocuparam-se mais em construir um romance entre Hit-Girl e Kick-ass do que mostrar o que realmente era importante. O personagem de Jim Carey serve para renovar o espírito heroico do Kick-ass. Ele se torna uma figura protetora para o Kick-ass. Tipo o que o babaca do Batman é para os Robins. Só que o Capitão Stars respeita e muito o Kick-ass, já que se não fosse pelo pirralho, ele próprio não existiria. Sendo assim, temos uma relação de respeito entre os dois, coisa que foi totalmente desperdiçada no filme. Terminar o relacionamento de Dave no início do filme sem um bom motivo também foi um ótimo jeito de se safarem do cruel destino que a moça recebe nos quadrinhos. Assim como o sacrifício do pai do moleque também é deixado de lado. O final de Hit Girl então, nem se fala. Se existir um Kick-ass 3, será definitivamente a coisa mais fora de contexto do mundo.

 Esse era o fim que eu queria ver pro Jim Carrey.

Agora, deixando de lado a HQ, da mesma forma que eu fiz com o filme do Constantine, o filme é do caralho pra caralho. A vingança da Hit-Girl, o fim de Motherfucker, Kick-ass consagrando-se como o herói mor e até o beijo final entre os dois protagonistas são fodas. Mas o grande problema disso tudo, é a maldita classificação etária. Porra, quando eu descubro que vão fazer um filme do Wolverine, indiferente se vão botar um cara de 2 metros para interpretá-lo ou não, eu quero ver o carcaju cortando pessoas ao meio. Do mesmo jeito que quando eu descubro a criação de um filme do Kick Ass, eu espero ver, nem que de leve, algumas das cenas mais pesadas que eu vi nas HQs. Mas não, as garras do Wolverine estão cegas e o ápice de maldade do Motherfucker é comprar um tubarão. Enfim.

E sim, eu sei que quadrinhos são fantasiosos demais e obviamente certas coisas que acontecem neles ficariam muito ruins em live action, mas porra, vai o Mark Millar, cria uma porra dum quadrinho de heróis super realistas e nego vai lá e muda tudo, de forma tediosa e sem sentido. É, pra eles, colocar o Kick-ass no primeiro filme com uma bazuca e uma mochila a jato não tem nada de surreal, mas deixar o cara continuar namorando e ter sua namoradinha estuprada e espancada não pode. Mostrar a porra da cabeça do cachorro enfiada na cabeça do Capitão Stars também ninguém quer. Foda-se Rob Stark.

 Tá ficando um xuxuzinho.

Quando eu comecei esse texto eu realmente achava que tinha gostado do filme e que conseguiria argumentos para dizer o quão foda ele foi. Mas relendo-o agora, percebo que o filme me decepcionou muito mesmo. Porra, até a porcaria do porradeiro final entre heróis e vilões eles conseguiram estragar. Não é brinquedo não, eu rezo pra que parem de fazer filmes adaptados de quadrinhos.

Kick-ass 2

Kick-ass 2 (103 minutos – Ação)
Lançamento: EUA, 2013
Direção: Jeff Wadlow
Roteiro: Jeff Wadlow, Mark Millar,
Elenco:

Aaron Taylor-Johnson, Chloe Grace Moretz, Christopher Mintz-Plasse, John Leguizamo, Jim Carrey e Daniel Kaluuya

Leia mais em: , ,

Antes de comentar, tenha em mente que...

...os comentários são de responsabilidade de seus autores, e o Bacon Frito não se responsabiliza por nenhum deles. Se fode ae.

  • Pedro

    “mas deixar o cara continuar namorando e ter sua namoradinha estuprada e espancada não pode”

    Lembrando que na HQ, nem namorada dele a Katie é, achei bem bizarro eles terminarem namorando no fim do primeiro filme!

busca

confira

quem?

baconfrito