Homem Aranha, o amigão das minorias

HQs segunda-feira, 14 de setembro de 2015

Vivemos numa época em que as minorias vem ganhando cada vez mais espaço nos quadrinhos. O Capitão América é negro, o Thor é mulher, o Hulk é asiático, a Miss Marvel é muçulmana e todos os Jovens Vingadores são bissexuais. É incrível ver tamanha diversidade cultural/racial/sexual(?) nos quadrinhos, é bom mesmo, mesmo que as vezes isso só seja feito pra vender mais quadrinhos e não pra representar uma minoria de verdade, mas se há um herói que sempre deu espaço para as minorias, esse herói é o Homem Aranha.

O próprio Peter Parker já representa uma minoria, um adolescente fodido que tem que ralar prum jornal fodido pra ajudar sua tia velha e fodida a pagar as contas. Eu gosto desse cara. Ele não queria servir seu país, ele não queria conseguir mais garotas com uma armadura maneira, ele não é um Deus e ele definitivamente não é um cientista louco que vira monstro e fica de mimimi. Ele é um cara como eu ou você que tava de boa levando uma vida de merda até ser picado por uma maldita aranha. Eu não gosto de aranhas.

Mas o universo do Homem Aranha expande-se muito além do jovem nerd que conseguiu ser bem sucedido na vida, pelo menos agora que ele é dono das Indústrias Parker. Valeu Doutor Octopus. O manto do aranha já cobriu e ainda cobre muitas pessoas diferentes. Como é o caso das Mulheres Aranha. Sim, já existiram algumas mulheres aranhas, apesar da Mulher Aranha original (Jessica Drew) não ter nada a ver com o Homem Aranha, ela já emprestou seu nome para outras personagens que tiveram envolvimento direto com o mundo de Peter Parker. Julie Carpenter conseguiu seus poderes durante as Guerras Secretas e fez parte dos Vingadores da Costa Oeste. Já Mattie Franklin, a terceira Mulher Arnaha, ganhou seus poderes após brincar com magia, ou melhor, após Norman Osborn brincar com magia e teve revista própria. Já a quarta Mulher Aranha, Charlotte Witter, foi uma vilã criada pelo Doutor Octopus.

Isso sem falar das Mulheres Aranhas das realidade alternativas, como é o caso da Spider Gwen, que surgiu recentemente e também já garantiu título solo e da May Parker, filha de Peter e Mary Jane em um futuro alternativo. Mas nem só de Mulheres Aranha vive o universo feminino do Homem Aranha, Anya Sofia Corazon, a Moça Aranha, era uma adolescente porto-riquenha que também conseguiu conquistar o público e ter um título solo e agora temos também Silk, uma garota que foi picada pela mesma aranha que picou Peter Parker e que ainda não sabe se vai ter grandes responsabilidades ou se vai só tocar o zaralho com a Gata Negra.

E é claro, nós temos os não menos importantes Miguel O’Hara e Miles Morales. O primeiro é o Homem Aranha 2099 e é meio mexicano e meio irlandês e está no presente atualmente. O personagem existe desde 1992 e voltou a ter sua própria revista recentemente. E o segundo era o Homem Aranha Ultimate que veio para o Universo 616 após as novas Guerras Secretas. Miles não somente terá título solo, como também fará parte de uma das muitas equipes de Vingadores.

É bonito que as equipes responsáveis pelo Homem Aranha no decorrer de todas essas décadas sempre tenham se preocupado com a diversidade. Antes do surgimento do Deadpool, o Homem Aranha sempre foi o personagem mais carismático, popular e amado da Marvel e é bom que suas revistas sempre tenham nos mostrado toda essa diversidade. O Homem Aranha já foi mulher, mexicano, irlandês, negro, clone, aranha de verdade e até mesmo um porco e vocês aí, em 2015 passando vergonha no Twitter por serem nerds machistas. Vocês me dão vergonha para caramba!

Leia mais em: , , , ,

Antes de comentar, tenha em mente que...

...os comentários são de responsabilidade de seus autores, e o Bacon Frito não se responsabiliza por nenhum deles. Se fode ae.

  • Arthur Arantes Souza

    Que isso, que bicho picou (ein, ein) o Jopes?

  • Loney

    Ele caiu na armadilha do politicamente correto.TUDO LADRÃO E PUTA, FALO MESMO.

busca

confira

quem?

baconfrito