Bella Swan, a Mercenária

Cinema sexta-feira, 02 de março de 2012

Todos aqui, querendo ou não, já assistiram algum filme da saga Crepúsculo, aqueles filmes chatos adaptados de livros mais chatos ainda sobre um triângulo amoroso entre uma humana, um vampiro e um lobisomem. Todos aqueles problemas da adolescência e mais um monte de coisas óbvias pelas quais todas as mulheres passam fizeram as menininhas de todo o mundo amarem Crepúsculo e enriquecerem Stephanie Meyer. Mas será que a história é realmente sobre encontrar o verdadeiro amor? Eu acho que não.

É tudo muito simples, Bella Swan é uma garota esquisita e sem amigos (Do tipo que sofre bullying), até conhecer Edward Cullen, o vampiro gay que brilha no sol. Amor a primeira vista e todas essas meninices, tudo está indo muito bem até que entra em cena Jacob, o ursinho carinhoso lobisomem amigo de infância de Bella e que se revela apaixonado por ela também. Pronto, fudeu… Temos um triângulo amoroso. Cabe a Bella escolher entre o vampiro que não pode fazer sexo e o lobisomem que não consegue ficar 2 minutos com uma camisa. Ela escolhe o vampiro, é claro. Por ser seu verdadeiro amor? Por favor, não sejam idiotas. Bella se casa com Edward porque ele é RICO, porra. O que Jacob tem? Uma cabana na floresta, um fogão a lenha e uma moto? Puxa, que legal. O Edward tem quantos carros quiser, uma mansão, uma ilha e todo dinheiro do mundo.

Por isso, menininhas apaixonadas e solitárias, entendam que Crepúsculo não se trata de amor, mas sim da realidade feminina. Entre um cara esquisito cheio da grana e um cara esquisito pobre, o rico sempre leva a garota. Stephanie Meyer captou bem a essência feminina que é, no money, no love.

Leia mais em: ,

Antes de comentar, tenha em mente que...

...os comentários são de responsabilidade de seus autores, e o Bacon Frito não se responsabiliza por nenhum deles. Se fode ae.

  • Rodox

    odeio seu site, texto ínutil! 

  • AHAUHUAHUAHUAU
    Sinto cheiro de decepção amorosa…

  • Allyne

    Hahaha.. eu ri na parte ‘o lobisomem que não consegue ficar 2 minutos com uma camisa’
    Ei, eu sou a única que não assistiu nenhum dos filmecos?

  • WandersonSantana

    Nunca parei pra pensar na teoria…

  • Luana Lins

    “Stephanie Meyer captou bem a essência feminina que é, no money, no love.” O que o autoriza, além de um mal disfarçado machismo, a afirmar isso? É uma afirmação e tanto, não acha?
    A saga é horrível, nem diria que é literatura. A escritora não alcança nenhum aspecto interessante da natureza humana, somente deixa entrever, através de seus estereótipos e imaginários idealizados, seus sonhos molhados de adolescente.
    Então não. Eu não diria que essa obra de pouco valor literário capta a essência feminina. Leia Balzac, Jane Austen, Simone De Beauvoir, Cecília Meireles, Emily Dickinson, Clarice Lispector, Chalotte Bronte… Depois faça o favor de dizer algo mais pertinente.

  • Arthur Arantes Souza

    Texto perigoso em? A garota ali, Luana Lins, disse muito bem. Um pedaço de lixo desses não capta a essência de nada. Acredito que por causa do machismo descarado, não velado, e afirmações que são apenas traços do senso comum, nas quais esse livro provavelmente se baseia, e nos quais nos baseamos principalmente, você se coloca tal afirmação. E ao meu ver não existe tal coisa como essência, só pra constar, existem idealizações, boas ou ruins.

  • 42

    Até parece que ele está revelando que ao mundo que o sol na verdade é verde! A verdade doe garotas… mas se tens dinheiro pro médico então blz

  • Jo

    O que me autoriza é a minha opinião. Não sabia que precisava de permissão para expô-la.

  • gordo

  • se fudeu josin…. kkkk vai ler clarice lispector foi a melhor kkkk
    te amo cara… mulher gosta de dinheiro quem gosta de piru é bicha… já diria nossa marchinha de carnaval.

  • Verdade.

  • Eu casaria com o Edward pelo dinheiro e teria o Jacob como amante pq ele é gostoso. E tenho dito. u.u E apooooosto q  a maioria das mulheres faria isso. Até pq, o tesão por um ser magrelo, gelado e brilhante não iria durar muito.

  • Você parece uma pessoa inteligente e acho que já deve ter lido todas as obras desses autores, né? Então acho que deveria saber que nem deveria se cogitar a possibilidade de uma comparação desses autores com Stephanie Meyer. Simplesmente pq Stephanie Meyer é nada e como se pode comparar algo com o nada?

  • Acento errado em inÚtil. Só pra avisar mesmo…

  • Who?!

    “no money, no love?” “Essência feminina?”

    Quantas mulheres de verdade você conhece? E me refiro a mulheres de verdade, não esse monte de pseudo-crescidinha-independente que muito se vê por ai…
    Acho que você precisa rever seus conceitos.Não que eu esteja defendendo Stephanie Meyer, longe disso.Só acho que qualquer tipo de gereralização não é bacana.
    Existe sim mulher que ignoraria o magrelo rico pra ficar com o gostosinho gente boa e engraçado. ;) 

  • E vc é meio masoquista, se não, nem entrava no site. Ou tá com muita raiva do mundo e precisa descontar em algum lugar. Fala que a gente escuta!

  • Luana Lins

    Caro Jo, 

    quando eu disse “autorizar” não
    me referia ao direito à opinião. Estou cônscia de que vivemos em um país livre,
    e todos têm esse direito, felizmente.

     

    Referia-me à autoridade (entenda-se
    conhecimento), isto é, à capacidade que se tem (ou não) para discutir sobre
    determinados assuntos. Portanto, reformulando a minha pergunta, ficaria algo
    assim: “O que o torna apto para falar sobre…?”

    Dessa forma, perguntei-lhe de onde
    tinha tirado aquela idéia estapafúrdia de que Meyer capta bem a essência
    feminina…

    Perceba, por exemplo, que para falar de
    revistinhas em quadrinhos, é necessária a leitura prévia para que não se incorra
    no erro de cometer impropriedades.

    Ora, na minha leitura, quando afirma
    que “Stephanie Meyer captou bem a essência feminina“,
    você fala sobre o feminino na literatura, ressalte-se que a essência do feminino,
    e toma como base um livro cuja qualidade não sobrevive a uma análise superficial.
     

     

    Aliás, foi devido a isso que indiquei
    os livros acima. Para que tenha a oportunidade de abrir a sua mente e quem sabe, numa
    próxima discussão, falar com mais propriedade sobre a essência do feminino na literatura. 

  • Marina Meoli

    As pessoas nunca entendem a ironia, é impressionante. aushuahuahsahsa

  • Luana Lins

    Não foi de modo algum uma comparação. Em nenhum momento lancei mão de traços estilísticos e linguísticos de um e de outro escritor, para, em seguida, fazer um paralelo entre as obras em questão. 
    Eu dificilmente banalizaria cânones da literatura francesa, brasileira, inglesa e estadunidense com uma comparação tão grosseira.
    Foi uma indicação de leitura. ;)

  • Esse pessoal ai totalmente culto que ta falando mal do cara ridiculamente deveria aprender um pouquinho mais sobre figuras de linguagem. Meu deus, heim. Fala do Justin Bieber na próxima, Jo. Vai bombar!

  • Jo

    Se fizer isso sou expulso do Bacon. “O que te autoriza a falar mal do Bieber?” Seria a reação se isso acontecesse. Talvez eu escreva sobre esses pseudo intelectuais. Vamos ver.

  • Ze Baude

    Nada como um post sobre crepúsculo pra gerar diversos comentários…

  • Quanta rage por uma piada inocente [Ou nem tão inocente assim]

  • Fernando

    Ah, nem vale a pena comprar a briga! Deve ser uma daquelas feministas encalhadas de perna peluda, quase chorando por atenção…

  • Pseudo Intelectual

    Argumentum ad hominem. Tava demorando pra aparecer. Deveria haver uma lei pra isso, tipo Lei de Godwin. É impressionante. 

  • Jade Zamarchi

    O melhor é ver como as pessoas NÃO sabem interpretar um texto. 

    E tenho dó de ver essa mulherada intelectual aí se matando pra provar os valores da mulher. Eita, discurso chato. O importante não é falar bonito, vomitar lista de livros antropológicos, fazer análise. Se você AGE de acordo com o que acredita ser certo, pode ter certeza que não vai precisar ficar convencendo ninguém de nada. Suas atitudes é que contam.Vai levar à sério piada machista? Ah, faz favor! Dê risada e pronto. Eu nunca vi homem nenhum dando cria quando mulher fala que homem “é mal necessário”, “só serve pra abrir vidro de palmito, trocar lâmpada”, “nenhum presta”. Bom senso, galera. E bom humor principalmente.

  • TAPA NA CARA DA SOCIEDADE

  • Palmas!

  • Fernando

    Prove que eu estou errado… =)

  • @muitopcontrario

    Luana, o que vc não entendeu é que essa é a formula mágica da internet. Escreva lixos preconceituosos, enviesados e, mesmo que isso exponha de uma maneira constrangedora toda a sua ignorância (no caso o sujeito, dito Jo), no final, pelo menos você ainda ganha pageviews, e como é demonstrado nessa caixa de comentários, até admiradores.

    Patético, enfim.

  • Pseudo Intelectual

    Se você afirma que o melhor é ver uma má interpretação de
    texto, eu,por outro lado, digo que o MAIS TRISTE é ver como as pessoas NÃO sabem escrever um bom texto.

    E permita-me dizer que no que respeita à importância do
    discurso, no qual, naturalmente, inscrevem-se as palavras, temos, de fato, um parecer dissonante.  Para mim, as
    palavras não se opõem,absolutamente, à ação. As palavras são, como ansiava e o
    realizou com sucesso Clarice Lispector, “movimento puro”.  Aliás, uma rápida observação parentética, Clarice
    Lispector, bem como os outros escritores que citei não são antropólogos.  Embora tenham sido hábeis observadores do
    homem e da humanidade, seu ofício não era a ciência antropológica, mas sim a
    ARTE, isto é, a arte literária. Trata-se, portanto, de literatos, romancistas e
    poetas canônicos.  Não foi em vão, aliás,
    que os citei, pois, querendo ou não, o assunto discutido aqui é literatura.

    Bom, voltando ao nosso maior desacordo: Se para você palavra
    é inércia, para mim, em direção oposta, palavra é ação. Escrever é movimento
    puro. Isso porque as palavras são transportadoras de idéias, que, por sua vez,
    são formadoras de opinião, orientadoras de comportamentos. (Isso inclui piadas –
    aparentemente inocentes). Dessa forma, não há que se duvidar de sua potência.  

    Quanto à minha insensatez e falta de bom humor. É muito
    importante que parem de perpetuar essa falácia de que quem não ri de piada ruim
    não tem bom humor. Quem não ri de piada machista é feminista. (E quem não gosta
    de texto ruim é mau leitor). Eu acredito no humor inteligente e sem
    preconceito.  (E acredito numa ironia bem
    construída). 

  • Jo Jopes

    “Na boca das recalcadas, eu viro celebridade.”

     – Clarice Lispector

  • Mario

    Seus comentários dão sono.

  • LetiFrassi

    concordo plenamente, mas e os motivos do edward? eu não consigo enxergar nenhum

busca

confira

quem?

baconfrito