Estreias da Semana – 24/11/2016

Cinema quinta-feira, 24 de novembro de 2016

Jack Reacher: Sem Retorno (Jack Reacher: Never Go Back)
Com: Tom Cruise, Cobie Smulders, Danika Yarosh, Robert Knepper e Aldis Hodge
Jack Reacher volta ao seu antigo quartel pra conhecer a nova comandante. Chegando lá, ele descobre que ela foi presa. Ao investigar, ele descobre que foi uma puta injustiça, meu, e vai começar a fazer uns paranauê fora do comum pra tirar ela da cana e descobrir o que aconteceu DE VERDADE.
É sempre pra descobrir o que aconteceu DE VERDADE que esse povo entra nessas tretas, hein? E eu ia reclamar do Tom Cruise, mas se eu tirasse a grana que ele tira, também não largaria o osso.

A Chegada (Arrival)
Com: Amy Adams, Jeremy Renner, Forest Whitaker e Michael Stuhlbarg
Quandos os alienígenas pousaram com suas naves e ficaram lá, só esperando, os seres humanos não conseguiram segurar a comichão e foram lá fuçar. Só que não entenderam porra nenhuma, ai chamaram a Amy Adams, que é linguista, pra traduzir o que cacete esses ET tão falando. Resultado: Ela não decifrou porra nenhuma, mas começou a ter visões do motivo dos marcianos seres de outro mundo terem vindo.
Eu até tento gostar da Amy Adams, mas ela não me ajuda.

O Quarto dos Esquecidos (The Disappointments Room)
Com: Kate Beckinsale, Lucas Till, Gerald McRaney e Michaela Conlin
Dana e seu filho molecote se mudam pra uma casa no campo, na fazenda ou numa casinha de sapê. De início, é tudo normal, mas tem várias coisas escondidas ali no meio, tio. Principalmente no sotão, porra, o sotão é o lugar mais bolado da casa: Tem um fantasma que quer ser liberado. Sei lá do que, truta.
É muito conveniente que essas coisas só aconteçam pra quem vai morar no meio do nada, isolado de tudo, e geralmente com criança envolvida.

Rainha de Katwe (Queen of Katwe)
Com: Lupita Nyong’o, David Oyelowo, Madina Nalwanga e Martin Kabanza
Phiona Mutesi era só uma garota na área rural de Uganda, vivendo no meio da pobreza e toda aquela coisa. Mas ela não deixa de sonhar alto, mesmo com as dificuldades da vida: O que ela mais quer é ser um dia campeã de xadrez.
Pode não parecer, mas isso é biografia. Pelo menos parece interessante, já que eu não conheço o enredo e o que a personagem vai passar [Apesar de fazer ideia].

É Apenas o Fim do Mundo (Juste la Fin du Monde)
Com: Marion Cotillard, Léa Seydoux, Vincent Cassel e Gaspard Ulliel
Depois de 12 anos longe de casa, Louis volta pra um almoço em família. Achando que só ia encher o bucho, ele tem de lidar com feridas que ele achou que tinham se fechado mas tão lá, vivonas. Tudo culpa do irmão dele.
Agora eu fiquei na dúvida se é um filme-catástrofe do ponto de vista de uma família que não pode fazer muita coisa quanto à isso ou se é só o “fim do mundo” por ser um jantar almoço em família chato.

Elis
Com: Andreia Horta, Caco Ciocler, Gustavo Machado, Rodrigo Pandolfo e Lúcio Mauro Filho
Manja a Elis, aquela cantora? Então, o filme é a vida dela. Desde o nascimento em 1945, em Porto Alegre, até a morte por overdose de cocaína e álcool em 1982, passando por tudo isso que, se você for ver o filme, provavelmente já sabe.
Putz, não podia falar que ela morre, né? Desculpa pelo spoiler, galera.

Hector
Com: Rodrigo Brassoloto, Eucir de Souza, Gabriela Veiga e Sergio Cavalcante
Num bololô muito louco de tempo e espaço, passado e presente se misturam, em idas e vindas do infinito, com uma mulher no meio divagando sobre o que fazer da vida, como vencer uma dor, e essas perguntas que todo mundo se faz quando entra num fluxo temporal que altera a continuidade do tempo.
Sério, eu não entendi a moral desse filme. Ou o motivo do nome. Ou qualquer coisa.

Refém do Medo (Shut In)
Com: Naomi Watts, Oliver Platt, Jacob Tremblay e Charlie Heaton
Mary Portman é uma psicóloga infantil que, depois de ficar viúva, foi morar na roça. Durante um inverno, ela encontra um moleque esquisito [É ESPÍRITO ESSA PORRA], e precisa ajudar pra que ele não suma pra sempre.
Como eu disse lá em cima: Gente morando sozinha pra lá da puta que pariu, e tem criança no meio.

Toro
Com: Felipe Kannenberg, Rodrigo Brassoloto, Naruna Costa e Sergio Cavalcante
Carlão, mais conhecido pela alcunha de Toro, era um criminoso. Agora é um taxista e tenta abandonar a velha imagem de malvadão, sob pena de não conseguir seguir em frente.
Com esse pôster, eu tava esperando algo mais. Mas o que se há de fazer, não é mesmo?

Leia mais em: , , , , , , , , ,

Antes de comentar, tenha em mente que...

...os comentários são de responsabilidade de seus autores, e o Bacon Frito não se responsabiliza por nenhum deles. Se fode ae.

busca

confira

quem?

baconfrito