Estreias da Semana – 18/08/2016

Cinema quinta-feira, 18 de agosto de 2016

Ben-Hur
Com: Jack Huston, Nazanin Boniadi, Haluk Bilginer, Pilou Asbæk, Marwan Kenzari, Rodrigo Santoro, Moises Arias, Morgan Freeman, Ayelet Zurer, Toby Kebbell, Sofia Black-D’Elia, James Cosmo e Julian Kostov
Judah Ben-Hur era um príncipe, até ser acusado de traição por seu irmão adotivo Messala, que é mais falso que nota de três reais. Afastado de seu título de príncipe [Isso é possível?] e afastado de sua mulher, Judah vira escravo. Mas depois de passar vários anos em alto-mar, ele retorna à sua terra pra se vingar. Mas é um bunda mole e só consegue redenção.
O mal de Hollywood hoje em dia é fazer remake e reboot ao invés de usar umas ideias mais originais, ou mesmo adaptar coisa que não foi pro cinema ainda.

Quando as Luzes se Apagam (Lights Out)
Com: Teresa Palmer, Maria Bello, Alicia Vela-Bailey, Gabriel Bateman e Emily Alyn Lind
Rebecca sempre teve medo do escuro, e seu irmão Martin vai pelo mesmo caminho. O que fode é que, mesmo parecendo bobo, esse medo vira um bagulho loko quando os dois começam a ver uma garotinha quando a luz é apagada.
Terror previsível ou horror discutível? Você quem escolhe o final nesse clichê do gênero.

Funcionário do Mês (Quo Vado?)
Com: Checco Zalone, Eleonora Giovanardi e Sonia Bergamasco
Checco vive confortável como funcionário público, até que uma crise faz com que o governo tenha que executar cortes, o que poe Checco numa encruzilhada: Ou abandona seu emprego ou é transferido pra casa do caralho. Como bom funcionário público, Checco não quer largar o osso, e vai sendo transferido pra vários lugares, já que a ideia era fazer o filho da puta pedir as contas. Quando é finalmente transferido para o Pólo Norte, na função de protetor de pesquisadores italianos contra ursos hostis, ele conhece Valeria, por quem ele se apaixona, impedindo que ele finalmente desista.
Tão vendendo isso aqui como “O filme italiano de maior bilheteria de todos os tempos”, como se fosse algo difícil. Mas parece mesmo filme do Leandro Hassum.

Esperando Acordada (Les Chaises Musicales)
Com: Isabelle Carré, Carmen Maura e Philippe Rebbot
Ganhando a vida como animadora de aniversários infantis, e festas de asilo também que dinheiro hoje em dia tá difícil, Perrine acaba assustando um homem em uma dessas festas; homem esse que bate a cuca e entra em coma. Perrine então se sente culpada e resolve cuidar do apartamento do cara, mas aos poucos vai assumindo a vida dele, involuntariamente, até estar totalmente embolada na mentira.
Mentira tem perna curta e você não deve assustar os amiguinhos, ou mesmo desconhecidos. Pronto, cê não precisa mais assistir issae.

Mercuriales
Com: Ana Neborac, Philippine Stindel, Jad Solesme, Annabelle Lengronne, Sadio Niakate, Damien Bonnard, Aurélia Poirier e Maryne Cayon
Lisa veio da Moldávia para a periferia de Paris, tentando um emprego melhor. Joane quer ser dançarina, sem nunca ter tido aulas de dança. Durante um emprego temporário, as duas se conhecem nas torres Mercuriales e viram grandes amigas, viajando juntas, cuidando da filha de uma amiga e planejando para o futuro.
Nada contra, mas sendo filme francês com duas jovens certeza que isso vai descambar pra uma relação carnal e etc.

Francofonia – Louvre Sob Ocupação (Francofonia)
Com: Louis-Do de Lencquesaing, Vincent Nemeth, Johanna Korthals Altes e Benjamin Utzerath
Segunda Guerra Mundial, ocupação nazista da França: Mesmo ocupada pelos vilões, a arte do Louvre resplandece, e as obras expostas irão ensinar homens poderosos sobre o valor da vida. Ou algo que o valha.
Olha, eu não sei o que é pior, se isso é um documentário, ou se ser um documentário quer dizer que realmente houveram lições sobre valor de vida e tal pela arte. Quem diria, hein?

Leia mais em: , , , , , ,

Antes de comentar, tenha em mente que...

...os comentários são de responsabilidade de seus autores, e o Bacon Frito não se responsabiliza por nenhum deles. Se fode ae.

busca

confira

quem?

baconfrito