Esquadrão Suicida (Suicide Squad)

Cinema quinta-feira, 04 de agosto de 2016

Montar uma equipe com os mais perigosos, encarcerados super-vilões do mundo, fornecer-lhes o arsenal mais poderoso do governo, e enviá-los em uma missão para derrotar uma entidade insuperável e enigmática. A oficial de inteligência dos EUA, Amanda Waller, escolheu apenas um grupo secretamente convocado de indivíduos desprezíveis com quase nada a perder. No entanto, uma vez que eles percebem que não foram escolhidos para vencer, mas escolhidos por sua culpa quando eles inevitavelmente falharem, será que o Esquadrão Suicida vai morrer tentando, ou decidir que é cada um por si?

Após a lambança que aconteceu no mundo depois da aparição do Superman, uma brilhante ideia, só que não, veio de Amanda Waller, uma diretora de uma agencia supersecreta chamada A.R.G.U.S.: Reunir (E forçar) os piores criminosos para uma força tarefa para situações impossíveis, o Esquadrão Suicida. Mas é claro que dá ruim, e uma entidade do capiroto ameaça a destruição do mundo e é a hora de testar o novo esquadrão.

Cria um petshop especializado em chinchilas mancas, cria uma nova hemorroida que parece um couve-flor e a chame de Hector, cria uma “nova” “linguagem” de programação que parece que alguém teve um derrame tentado pedir uma cerveja nos EUA (BIRL), cria o que for, mas não cria expectativa. Isso é um mantra que ando repetindo toda vez que um filme é lançado e normalmente me deixa mais feliz, então recomendo.

Algo que me agradou muito foi a trilha sonora. Não foi apresentado nada muito novo, aliás, foram alguns clichês, tipo Sympathy for the Devil dos Rolling Stones, mas todos uns clássicos que misturaram bem com o que foi apresentado, e o tema principal Heathens do Twenty One Pilots me agradou bastante e combinou com o tudo.

Ok, mais um filme baseado em quadrinhos, e normalmente isso significa que o filme terá elementos diferentes dos quadrinhos, e que terão os que odeiam o filme por isso, os que nem leram e não irão ler os quadrinhos e os outros. Filmes de quadrinhos são uma espécie nova de novo universo mostrado para os fãs, onde a ideia tem fundamento em algo do quadrinho mas tem mais gente que vai ver isso então é reformulado. Se eu já estou falando assim quer dizer que o filme não tem muitos elementos dos quadrinhos, mas isso já era de ser esperado, afinal os trailers já ajudaram nessa parte.

 Quem manja, manja.

O Esquadrão Suicida não é ruim, mas não chega a preencher os sapatos que foram criados para ele. Eu vi um único trailer antes de ver o filme e depois resolvi que era o suficiente, se visse os outros 5 trailers, acho que isso teria sido um pouco pior. Aliás, os trailers e materiais que são emitidos hoje são um tiro no pé dos filmes: Se juntar os materiais dos trailers, clipes, etc. tem cenas que nem no filme estão, além de criar uma hype que não sei se vale a pena. Devido ao sucesso do Deadpool e do não sucesso (Não foi exatamente uma falha) do Superman Vs Batman o diretor David Ayer foi obrigado a fazer vários cortes de cenas, o que foi um soco no filme que até apareceu um POW na tela depois, mas isso só me faz querer ver a versão estendida disso.

As boas atuações vêm da onde é esperado: O atual dono da pedra filosofal (Já que ele não envelhece), Will Smith, e a gostosa da Margot Robbie fazem o filme andar (Vou ficar muito triste se nesse Halloween a nova Harley não for a fantasia mais usadas pelas garotas mais ousadas). Os dois já fizeram filmes juntos como A Grande Aposta (Nota do Editor: Não, não trabalharam não, foi em Golpe Duplo) e já tinhas mostrado que o negócio podia ser bom entre eles e que ela era gos… Deixa pra lá. A química que deveria rolar entre os personagens (Deadshot e Harley Quinn) ficou a desejar, mas parece que foi mais uma escolha da produção que má atuação.

Viola Davis também fez bonito, mas o personagem dela está dentro do que ela já anda fazendo, uma mulher durona, então não era de se esperar menos. O El Diablo, interpretado por Jay Hernandez, acho que podia ficado melhor, mas minha frustração acho que se deve à escolha que fizeram para o personagem que acabou ficando sem sal, diferente do quadrinho (Isso também deve ter influência na minha decisão). No final ele tem um momento de redenção, mas deixa isso pra quem for ver. Killer Croc (Pausa), não sei se deu para ver ele direito nos trailers, eu não percebi, mas tem hora que ele parece que acabou maquiagem pro corpo, a cabeça está gigante mas o corpo não segue isso, deixando o bicho parecendo um mini-craque, isso me deixou meio desconfortável. Já a Cara Delevingne, tem os maiores altos e baixos, vou só dizer que quando ela está limpa parece que tira um pouco da concentração para ela fazer o personagem.

E para o final, Jared Leto, o Palhaço, o Joker, o Curinga, esse é difícil, o Coringa sempre foi um personagem difícil de honrar, mas como o sádico psicopata ele se saiu bem, não foi tão sorridente quanto é de se esperar de um Coringa e algo me diz que ele estudou mais o Heath Ledger mais que o Coringa em si (Tem um cacoetes que me lembrou muito), mas foi o suficiente para dar gostinho de quero mais, principalmente para a história Coringa/Harley. Os outros personagens foram bons, mas nada que eu ache que valha mencionar.

O filme levou a característica do Batman Vs Superman, que é o tom mais sombrio, e como mencionado antes, isso não foi exatamente algo bem recebido pelo público, mas mesmo depois de colocarem mais piadinhas e o alivio cômico, o filme ainda não tira uma bela risada duradoura, e acabou virando um pato dos cinemas: Onde tem comédia, tem drama, tem histórias complicadas, mas nada profundo, sobrando para a ação salvar o filme, e ainda levando aquela assinatura de filme de herói, a cena super produzida a lá destruição do mundo eminente, já está ficando meio batida e precisa dar uma melhorada, pelo menos no meu ver.

O alivio cômico, o jeito que tudo é apresentado, o fato de correlacionar fatos de futuros filmes da DC (Como a Liga da Justiça), apresentar a futuros personagens e serem criminosos/desajustados que se dão bem, fez o filme muito parecido com a receita Marvel para Guardiões da Galáxia… Mas diferente de Guardiões, não chegou lá. Fazendo uma relação com os quadrinhos, eu acho que o filme deveria ter mais o tom de “aqui é Curintia criminoso mesmo” e fazer algo mais adulto, com o tom maduro e arriscar mesmo, ao invés de ter mudado no final.

Esquadrão Suicida

Suicide Squad (123 minutos – Ação)
Lançamento: EUA, 2016
Direção: David Ayer
Roteiro: David Ayer
Elenco: Viola Davis, Will Smith, Margot Robbie,Jai Courtney, Jared Leto, Jay Hernandez, Adewale Akinnuoye-Agbaje, Cara Delevingne, Joel Kinnaman, Adam Beach, Karen Fukuhara, Ike Barinholtz, Common, Ezra Miller

O Jão resolveu sair do Bacon porque viviam roubando o pão dele, mas aí ele achou Jesus salvação na DC. Pior pra ele. Quer fazer que nem ele fazia e sustentar esse bando de morto de fome? Chega mais.

– Jão, da onde cê tirô esse oito, hein? Porra, da onde cê tirô essa merda?
– Você tá muito engraçadinho, hein, Toucinho! Lógico que foi do cu! Podia ser mais da onde?

Leia mais em: , , ,

Antes de comentar, tenha em mente que...

...os comentários são de responsabilidade de seus autores, e o Bacon Frito não se responsabiliza por nenhum deles. Se fode ae.

busca

confira

quem?

baconfrito